Caso Sánchez: Conmebol rejeita recurso do Santos, que vai ao CAS

Conmebol negou o pedido santista sem apresentar os motivos para a recusa

20/09/2018 - 17:59 - Atualizado em 20/09/2018 - 18:08

Carlos Sáchez foi escalado de forma irregular e Peixe foi punido (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

A Conmebol rejeitou o recurso do Santos no caso Carlos Sánchez, no qual o clube foi punido pela escalação supostamente irregular do uruguaio no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, contra o Independiente. Os santistas tentavam a anulação da pena e um eventual reencontro com os argentinos, que nesta quarta-feira (19) empataram em 0 a 0 com o River Plate no primeiro jogo das quartas de final.
A Conmebol negou o pedido santista sem apresentar os motivos para a recusa. A partir de agora, os advogados alvinegros aguardam a fundamentação da decisão para  recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS), com sede na Suíça. Publicamente, o presidente José Carlos Peres já afirmou que gostaria de  vaga antecipada na Libertadores do ano que vem e ressarcimento em dinheiro.
Em sua defesa à época do julgamento, a diretoria santista alegou que o sistema virtual da Conmebol não mostrava qualquer restrição à escalação de Sánchez. Além disso, evocou o princípio da isonomia, já que o River Plate – e mais tarde o Boca Juniors – também usaram jogadores sem condições legais e não foram punidos.
Santos e Independiente empataram em 0 a 0 no jogo de ida das oitavas, em Avellaneda. Entretanto, horas após a partida, os argentinos comunicaram a Conmebol que Sánchez não poderia ter atuado, pois ainda teria de cumprir um jogo de suspensão referente aos tempos em que defendia o River Plate.
O caso só teve a decisão anunciada no dia do jogo de volta, no Pacaembu. Pela manhã, o Santos ficou sabendo que o empate por 0 a 0 havia se transformado em derrota por 3 a 0. E com o novo 0 a 0 no estádio paulistano, o time santista deu adeus à competição.

Veja Mais