Barça pagaria 30 milhões de euros por Rodrygo, diz jornal

Segundo o diário catalão Sport, valor seria pago em parcelas e atacante iria para Barcelona em 2020

23/05/2018 - 20:14 - Atualizado em 23/05/2018 - 20:33

Capa do Sport desta quinta: 30 milhões de euros pela joia da Vila (Foto: Reprodução Sport) 

Rodrygo continua emplacando capas nos jornais da Catalunha, na Espanha. Depois de ser assunto nos diários Sport e Mundo Deportivo, o atacante voltará a estampar a capa do Sport na edição desta quinta (24). Segundo a publicação, o diretor do Barcelona, Pep Segura, que está no Brasil, veio disposto a fazer negócio com o Santos para ter a prioridade na contratação do novo raio da Vila. 

Segundo o Sport, o Barça teria na manga uma proposta de 30 milhões de euros (mais de R$ 127 milhões) por Rodrygo, que seriam pagos parceladamente. Em contrapartida, a revelação santista só seria incorporado ao elenco em 2020. 

Rodrygo tem contrato com o Santos até junho de 2022 e multa rescisória estipulada em 50 milhões de euros (o Santos detém 80% dos direitos econômicos do jogador). Como completa 18 anos em 9 de janeiro de 2019, o atacante só poderia se transferir a qualquer clube do exterior após esta data. 

Lançado na equipe profissional no final da temporada passada, Rodrygo virou titular da equipe de Jair Ventura em 2018. Já são 23 jogos e seis gols pelo Alvinegro.

Sem negócio (por enquanto)

Em coletiva na manhã desta quarta (23), em São Paulo, o presidente José Carlos Peres disse que vários clubes têm interesse em Rodrygo, inclusive o Barcelona. Mas que um possível negócio com o clube catalão, segundo o dirigente, só seria possível se a equipe pagasse, antes, 14,5 milhões de euros (mais de R$ 60 milhões) referentes a uma dívida que o Barcelona teria referente à compra de Neymar.

"Nós temos um processo contra o Barcelona sobre o Neymar. Quatro meses antes do Mundial de 2011, o Barcelona adiantou um dinheiro sobre a transação, entendemos que houve um aliciamento. Nós exigimos receber 14,5 milhões de euros do Barcelona. Quando pagar, vamos discutir sobre outras coisas", disse Peres sobre o imbróglio que chegou à Corte Arbitral da Fifa. 

 

Veja Mais