Praia Grande amplia leitos para hemodiálise

O Ministério da Saúde habilitou a Cidade para mais 140 vagas de Unidade de Alta Complexidade

06/12/2017 - 20:35 - Atualizado em 06/12/2017 - 20:40

A partir do próximo dia 18, unidade terá mais leitos
(Foto:Divulgação)

O Município de Praia Grande quer zerar a demanda por hemodiálise (filtragem do sangue por meio de equipamento que simula um rim artificial). O Ministério da Saúde habilitou a Cidade para mais 140 vagas de Unidade de Alta Complexidade em Cuidados ao Portador de Doença Renal Crônica e Terapia Renal Substitutiva de Praia Grande (Nefro-PG). 

Os novos leitos serão incluídos à rede municipal a partir do próximo dia 18. Já em janeiro do ano que vem, a unidade terá a capacidade total ampliada para 210 vagas de hemodiálise. Segundo o prefeito Alberto Mourão, a Cidade conta hoje com 14 equipamentos de filtragem de sangue – montante que atende a 35 pessoas. 

Com a portaria do Ministério da Saúde, serão no total 35 aparelhos, quantidade que aumentará em até cinco vezes o montante de pessoas beneficiadas. “Esse número é suficiente para a demanda regional e ameniza o sofrimento de pacientes que são hoje atendidos em São Paulo”, diz o prefeito.

Ele explica que Praia Grande tem uma fila de 44 pessoas que aguardam por uma vaga. Com a maior oferta, a unidade vai atender pacientes de Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe. “A destinação (das vagas regionais) será pela Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross)”.

Mourão afirma que a habilitação do serviço resulta da mobilização política denominada Radiografia da Saúde. A ação fez um mapeamento das necessidades locais e das demandas reprimidas da área, sob responsabilidade do Condesb. E culminou com a liberação de R$ 120 milhões por ano para cobrir o rombo do financiamento da Média e Alta Complexidade (MAC) do SUS.

Veja Mais