Trabalhadores portuários aprovam greve de 24 horas nesta segunda-feira

Categoria afirma que está sem aumento salarial referente ao acordo coletivo de 2017

04/03/2018 - 21:56 - Atualizado em 04/03/2018 - 22:13

Categoria acertou detalhes de protesto previsto para
a manhã desta segunda (Foto: divulgação/Sindaport)

Durante assembleia na noite deste domingo (4), trabalhadores portuários da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) aprovaram greve de 24 horas a partir da zero hora desta segunda-feira (5). 

Além da paralisação, os trabalhadores, que reclamam da falta de aumento salarial referente ao acordo coletivo de 2017, prepara um protesto, às 9 horas, na porta da presidência da empresa portuária.

Segundo o presidente Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport), Everandy Cirino dos Santos, a decisão da greve já havia sido aprovada em assembleia no dia 21 de fevereiro e foi tomada porque a ''Codesp não cumpriu o acordo coletivo de trabalho do ano passado, que prevê aumento salarial retroativo a 1 de junho de 2017''.

Ainda conforme o sindicalista, em setembro de 2017, o acordo coletivo foi assinado, ''mas uma cláusula especificava que, após 90 dias, as partes, sindicatos e empresa negociariam o índice para o reajuste salarial a ser pago de forma retroativa. Porém, até hoje, aguardamos que o Governo autorize a Codesp a conceder o aumento salarial”.

Além de entrar em greve, o sindicalista afirmou que a categoria instaura dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo.

Veja Mais