Porto terá investimentos de R$ 50 mi em ferrovias neste ano

Projetos integram programa elaborado pela Rumo para a modernização do modal no cais santista até 2021

20/08/2018 - 13:49 - Atualizado em 20/08/2018 - 15:01

Programa  é necessário para ampliar capacidade da ferrovia na zona portuária (Foto: Vanessa Rodrigues/AT)

O sistema ferroviário que atende o Porto de Santos ganhará um investimento de cerca de R$ 50 milhões neste ano. O valor se refere às obras que estão sendo realizadas pela operadora logística Rumo, empresa do Grupo Cosan que explora uma das malhas ferroviárias que atendem o complexo e ainda controla a Portofer, responsável pelo transporte férreo no interior do porto organizado. As melhorias integram o projeto da companhia para modernizar o modal na região até 2021.

Uma das frentes de trabalho ocorre como parte do projeto de revitalização da Avenida Governador Mário Covas, entre o canal 4 e a Ponta da Praia. Trata-se da remodelação do pátio ferroviário do Porto no Macuco, o que deve ocorrer até o primeiro semestre de 2020. A ideia é ter quatro vias contínuas de 2,4 quilômetros no local, permitindo a operação de descarga dos trens de grãos e celulose com maior segurança e produtividade e menor custo.

Com o novo arranjo, será eliminada a necessidade de desmembramento das composições no pátio e reduzidos os conflitos rodoferroviários atuais, o que garantirá maior capacidade de processamento de transporte ferroviário e maior fluidez de tráfego na região. Para dar início aos trabalhos, no ano passado, foram investidos R$ 3,3 milhões, e neste ano, serão R$ 6 milhões.

As obras do Corredor de Exportação estão em andamento, sendo feitas em conjunto com a expansão dos terminais, que devem construir novos sistemas de recebimento, com novas moegas, esteiras e armazéns.

Os serviços abrangem a substituição de toda a infraestrutura ferroviária e a implantação das novas linhas com dormentes de concreto e trilhos com novo perfil, além da aplicação de asfalto em toda a área. A ação promoverá o aumento da capacidade de movimentação ferroviária dos atuais 5,5 milhões de toneladas úteis/ano para até 20 milhões de toneladas úteis/ano, além da segregação dos modais, que propiciará um aumento da segurança operacional para os terminais da região.

Ainda neste ano, a Rumo pretende concluir a implantação da primeira fase de uma terceira linha férrea no bairro do Paquetá. O projeto prevê a construção de uma via com 350 metros de comprimento.

Se em 2000, menos de 1 milhão de toneladas de mercadorias utilizavam os trilhos no acesso ao cais santista e, em 2016, esse volume saltou para 30 milhões de toneladas, agora, a expectativa é ampliar esse número para 57 milhões de toneladas até 2025. 

Obras

O projeto da Rumo, batizado de Revitalização de Santos, terá um investimento total previsto de R$ 204 milhões. Nos últimos três anos, já foram aplicados R$ 109,8 milhões. De acordo com a operadora, os aportes continuarão nos próximos três anos. 

No total, na região do Porto, a empresa pretende trocar 150 quilômetros de trilhos e 117 aparelhos de mudança de via (AMVs), além de também substituir 70 mil dormentes por outros de qualidade superior. Passagens de nível estão sendo revitalizadas e sistemas de drenagem, construídos ao longo de todo o trecho, das margens Direita e Esquerda do Porto de Santos.

Além deste projeto de modernização das vias, a arrendatária afirmar ter investimentos previstos para o mesmo período que atinge o montante de R$ 800 milhões em sua malha nacional.

Veja Mais