Membro da Soamar morre em acidente durante manobra no cais santista

Carro em que estava Antônio Carlos Cintra, que era do Comitê de Gestão do Santos FC, caiu na água

01/09/2017 - 09:42 - Atualizado em 01/09/2017 - 17:07

Antônio Carlos Cintra participou de reunião horas
antes do acidente (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Membro da Sociedade Amigos da Marinha/Santos (Soamar) e do Comitê de Gestão do Santos FC, Antonio Carlos Cintra, de 78 anos, morreu na noite desta quinta-feira (31), durante uma manobra no estacionamento da Capitania dos Portos, entre os armazéns 27 e 29.

De acordo com informações apuradas pela Reportagem, o acidente ocorreu por volta das 23 horas, após uma reunião da Soamar. Cintra estava sozinho no veículo quando caiu da borda do cais dentro d'água. Por enquanto, não há informações sobre o que teria motivado o acidente.

Procurada, a Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP) informou que após o acidente, a vítima foi rapidamente socorrida, mas não resistiu. O óbito, ainda segundo a autoridade marítima, foi confirmado no próprio local. Serão abertas investigações para apurar os fatos.

Logo após o acidente, o Santos FC divulgou uma nota de pesar, lamentando a morte de Antonio Carlos Cintra, que também era conselheiro efetivo. O clube decretou luto oficial de sete dias.

A Somar Santos também registra seu pesar pela morte do associado.

Cintra iniciou sua carreira profissional na Petrobras em 1959, prestando serviços na Frota Nacional de Petroleiros (Fronape) até o encerramento das atividades da mesma em Santos. A partir de 1969, por indicação da diretoria da Petrobras, foi nomeado como representante da Fronape para as operações dos navios da Petrobras em todos os portos brasileiros por intermédio da Agência de Navegação L. Figueiredo, com autonomia para nomeação de subagentes em todo o território nacional. Nela atuou até 1995, quando se aposentou.

Em 1979, Cintra foi condecorado com a Medalha Amigo da Marinha por ter se distinguido no trabalho de divulgar a mentalidade marítima, no relacionamento com a Marinha, na defesa dos interesses atinentes à Marinha e na divulgação da importância do mar para o País. No mesmo ano, tornou-se um associado da Soamar-Santos, sendo um assíduo participante dos eventos promovidos pela entidade.

Cintra também foi Presidente do Clube do Leme e era membro das associações de amigos da Base Aérea de Santos e do 6º BPMI. Ele deixa a esposa Selma Arce Cintra, os filhos Rogério Arce Cintra e Patrícia Arce Cintra, e a neta Fernanda.

A cerimônia de cremação do corpo de Antônio Carlos ocorreu no final da tarde desta sexta-feira (1º) no Salão Imperial da Memorial Necrópole Ecumênica, mesmo local onde foi realizado o velório.

Veja Mais