Caminhoneiros são alvo de campanha para prevenir acidentes

Auditores abordaram profissionais para falar sobre a prevenção de acidentes e a saúde do trabalhador

24/04/2017 - 13:01 - Atualizado em 24/04/2017 - 13:25

 

 

Os principais problemas encontrados pelos fiscais estão ligados à jornada de trabalho (Foto: Nirley Sena)

Um dos setores que mais preocupa o Ministério do Trabalho com relação a acidentes é o de Transportes Terrestres, no qual os caminhoneiros ocupam uma posição negativa dentro do ranking. Para tentar reverter esse quadro, uma operação de auditores fiscais focou nestes profissionais na área do Porto de Santos nas últimas semanas.

A ação fez parte do Abril Verde, campanha realizada para sensibilizar a sociedade para a importância do desenvolvimento de uma cultura de prevenção de acidentes e doenças do trabalho. Na operação em conjunto com a Guarda Portuária, os auditores abordaram 30 caminhoneiros para verificação das condições de trabalho e orientar sobre problemas.

“Infelizmente, o Brasil tem um alto índice de acidentes de trabalho e por aqui não é diferente. Encontramos as faltas laborais que costumam sempre se repetir entre estes profissionais”, explica a auditora fiscal do Trabalho, Débora Borges Augusto Beneduzi, que coordenou a ação fiscal dentro da área portuária.

Os principais problemas verificados estão ligados à jornada de trabalho dos caminhoneiros. Esses trabalhadores teriam que manter uma papeleta no caminhão com este controle, mas são poucos os que seguem a norma. O intervalo reduzido entre duas jornadas de trabalho ou o horário de refeição menor do que uma hora também foram constatados ao longo da inspeção.

Alguns caminhoneiros também trabalham horas a mais do que é permitido pela legislação. “Apesar de não ser a finalidade do equipamento, acabamos verificando estes excessos de jornada pelo tacógrafo do caminhão”, diz Debora.

Jornada em excesso

E são justamente essas jornadas excessivas, com privação do sono, fadiga e estresse, que levam o setor de transportes terrestres a ocupar o primeiro lugar em quantidade de óbitos e a segunda posição em incapacitações permanentes para o trabalho. 

Nos últimos cinco anos, segundo informações do Ministério do Trabalho, foram 2.780 trabalhadores que faleceram e 5.400 sofreram acidentes com sequelas permanentes no Brasil. Cerca de 15% das mortes registradas são de motoristas de caminhão.

“Ações de fiscalização acontecem rotineiramente, mas, durante a campanha, estaremos também focados na prevenção de acidentes”, diz a auditora fiscal. As irregularidades encontradas na operação da semana passada estão sendo registradas e, até o final do mês, o Ministério do Trabalho deve enviar auto de infração para as empresas responsáveis por esses funcionários.

Seminário vai discutir situação na Baixada Santista

A prevenção de acidentes de trabalho ganha destaque também em eventos em Santos, encerrando a programação do Abril Verde.

A Fundacentro da Baixada Santista e a Gerência Regional do Trabalho de Santos, em conjunto com outras entidades, promovem, na próxima quarta-feira, o III Seminário Unificado de Saúde e Segurança dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Baixada Santista. Gratuita e aberta a profissionais e estudantes que atuam na área de segurança do trabalho, a atividade deve mostrar o panorama regional das condições de trabalho e ampliar a discussão sobre prevenção. 

O evento acontecerá no Auditório do Sindipetro, na Av. Conselheiro Nébias, 248, na Vila Mathias. As inscrições e outras informações sobre o seminário estão em goo.gl/LbuQZj.

Na quinta-feira, a Universidade Santa Cecília realiza debates com especialistas e autoridades no assunto, nas áreas de engenharia de segurança, jurídica, da saúde ocupacional, dos segmentos empresariais e dos trabalhadores. A ficha de inscrição está em sites.unisanta.br/diamundial e o evento acontece a partir das 19 horas, no Auditório do Bloco E, na Rua Cesário Mota, 8, no Boqueirão.

Veja Mais