Universitário morreu afogado, aponta exame do IML

Polícia investiga caso e não descarta hipótese de suicídio do jovem

13/10/2018 - 19:11 - Atualizado em 13/10/2018 - 21:07

Correntes utilizadas para amarrar os tornozelos eram da bicicleta do jovem (Foto: Reprodução / Facebook)

O universitário Gabriel Freire Rodrigues Croce Pereira, de 22 anos, morreu afogado, de acordo com o exame necroscópico. A polícia vai investigar o caso, mas a hipótese de suicídio não pode ser descartada, já que não foram encontrados sinais de violência no corpo. O cadáver apareceu boiando, na última sexta-feira, em Guarujá.

A causa da morte do jovem foi constatada por peritos do Instituto Médico-Legal (IML) de Santos, depois da necropsia. As correntes usadas para amarrar os tornozelos do rapaz foram reconhecidas pela família como sendo da bicicleta dele.

O sumiço havia sido alertado pelo Diretório Acadêmico (DA) da faculdade onde Gabriel cursava Direito. O texto falava que, seis meses antes, ele tinha saído de uma clínica psiquiátrica. 

O cadáver do jovem apareceu boiando, próximo à Praia do Góes, em Guarujá, na manhã da última sexta-feira. Os Bombeiros fizeram o resgate e o levaram até o IML, onde o corpo foi reconhecido pelo pai.

*Com informações de Eduardo Velozo Fuccia

Veja Mais