Site de hospedagem bane usuário que instalou câmera em imóvel na Ilha Porchat

Turistas descobriram equipamento instalado atrás do espelho do quarto e levaram à polícia

27/01/2018 - 20:35 - Atualizado em 27/01/2018 - 20:43

Apartamento foi alugado por um analista de sistemas
e uma arquiteta (Foto: Luigi Bongiovanni/AT)

Por violar a sua política de privacidade, o Airbnb Brasil – site especializado em hospedagens – excluiu da plataforma o proprietário do apartamento da Ilha Porchat, em São Vicente, que instalou uma câmera oculta no quarto do imóvel, antes de alugá-lo a um casal de turistas da região do ABC.

“Assim que tomamos conhecimento deste incidente, banimos permanentemente este anfitrião de nossa plataforma. Estamos em contato e dando assistência aos hóspedes. Além disso, estamos à disposição das autoridades policiais para auxiliar na investigação”, informou o Airbnb, na tarde deste sábado, para A Tribuna.

Localizado no Condomínio Edifícios Blue Moon e Blue Sky, na Alameda Ari Barroso, 61, o apartamento foi alugado para um analista de sistemas, de 27 anos, e uma arquiteta, de 28. O casal pagou com cartão de crédito a quantia de R$ 922,37 para se hospedar entre os dias 25 e 28 de janeiro.

No entanto, já nas primeiras horas de hospedagem, após terem mantido momentos de intimidade, os turistas tiveram a atenção voltada para uma luz que piscava e mudava de cor no espelho. Ao verificar o que aparentava ser um adorno luminoso, o casal constatou se tratar de uma câmera escondida.

O equipamento de filmagem foi desligado da tomada, desconectado e levado pela arquiteta e pelo analista de sistemas à Delegacia de São Vicente, por volta das 19 horas da própria quinta-feira (25). O delegado Armando Prado Lyra Neto apreendeu a câmera e requereu perícia. O caso está sob investigação.

Política de privacidade

O site informa que já registrou mais de 260 milhões de chegadas de hóspedes em todo o mundo e casos como o de São Vicente são “extremamente raros”. “O Airbnb leva muito a sério a privacidade e não há espaço em nossa comunidade para esse tipo de comportamento”, ressalta. Segundo o site, “o usuário não deve espionar as pessoas”.

“As regras de uso da plataforma são claras ao proibir câmeras em quartos ou banheiros. Caso estejam em outros locais da casa, essa informação deve ser divulgada no anúncio”, acrescenta o Airbnb. Ainda que a título de vigilância, aparatos de filmagem são vedados em espaços privados, independentemente de terem sido informados, adverte o site.

Preocupação

Não bastasse o aborrecimento de ter a privacidade devassada, o casal ficou “assustado”, conforme admitiu para A Tribuna o analista de sistemas. Embora não quisesse comentar o episódio, o turista declarou que recebeu telefonema do dono do imóvel logo após a câmera ser desconectada. O locador queria saber se tudo estava bem no local.

A ligação trouxe a impressão de que o proprietário do imóvel acompanhava em tempo real, como se fosse um Big Brother da vida real, tudo o que acontecia dentro do quarto. Ao ser questionado sobre a câmera atrás do espelho, o locador tentou minimizar, dizendo que a filmagem era por questão de “segurança”. A Tribuna não conseguiu ouvi-lo.

Veja Mais