Menina ferida em tentativa de roubo ficará com bala nas costas

Garota levou tiro na madrugada de quinta-feira, quando pai dirigia no Chico de Paula, mas cadeirinha amenizou impacto

30/12/2017 - 08:14 - Atualizado em 30/12/2017 - 08:45

Seta feita pela perícia mostra furo da bala na
cadeirinha da criança (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A menina de 6 anos baleada nas costas por marginais que supostamente tentaram roubar o carro que o seu pai dirigia recebeu alta, no início da tarde da última sexta-feira (29), da Santa Casa de Santos. Porém, o projétil que a atingiu ainda não foi extraído.

“Como a bala não acertou qualquer órgão vital, os médicos decidiram não retirá-la. Eles acharam melhor apenas fazer um curativo para avaliar o melhor momento de extraí-la”, contou o pai da criança.

Ainda segundo o pai, o projétil não atingiu qualquer vértebra da filha, que está com os movimentos normais e não sofreu algum tipo de sequela. Após sair de Santa Casa de Santos, os pais e a menina seguiram para a residência da família, na Vila Alpina, Zona Leste de São Paulo.

Os três estavam hospedados na casa da avó materna da menina, em Itanhaém. Na madrugada de quinta-feira, a garota estava com febre devido à infecção de um dente. Em busca de atendimento odontológico de emergência para a filha, o homem veio para Santos com o seu Renault Logan.

Para isso, o pai da menina se valeu de um aplicativo de celular. A poucos minutos de chegar à clínica onde pretendia levar a filha, o homem se perdeu e ingressou na Rua Boris Kauffmann, no Chico de Paula, em Santos.

Mal iluminada, a rua fica entre a Via Anchieta e a Avenida Nossa Senhora de Fátima, perto da entrada de Santos e da favela da Alemoa. “Chovia e um carrinho de ambulante estava colocado parcialmente na rua. Não havia bloqueio, mas um desvio para forçar a diminuição da velocidade”, detalhou o homem.

Além dele e da filha, no carro estavam a sua mulher e uma sobrinha, também de 6 anos. Três homens se encontravam perto do carrinho e o pai da vítima passou pela barreira improvisada. Um dos criminosos não hesitou em disparar na direção do carro.

O tiro atravessou o porta-malas e o encosto da cadeirinha afixada no banco traseiro, na qual estava a filha do motorista do Logan. O pai não percebeu que a criança foi baleada e continuou a dirigir. Porém, logo em seguida, ela reclamou que as costas sangravam.

Ao constatar que a filha havia sido baleada nas costas, o pai pediu auxílio a policiais rodoviários, que o encaminharam junto com a criança à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Casqueiro, em Cubatão.

Registrado como tentativa de homicídio pelo delegado Otávio Augusto C. R. Carvalho, da Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Santos, o episódio aconteceu por volta das 3 horas. Os criminosos não foram identificados e fugiram sem consumar o roubo que aparentemente pretendiam praticar.

Veja Mais