Menina de 12 anos encontrada morta em Guarujá foi asfixiada

Devido ao estado de decomposição do cadáver, ainda não foi possível confirmar suposta ocorrência de estupro

25/01/2018 - 09:08 - Atualizado em 25/01/2018 - 09:08

Raíssa saiu de casa dizendo que iria
brincar com outras crianças (Foto: Reprodução)

A menina encontrada morta dentro do canal da Avenida D. Pedro I, no Jardim Virgínia II, em Guarujá, na manhã de terça-feira (23), foi morta por asfixia mecânica mediante estrangulamento. A vítima tinha uma corda enrolada ao pescoço.

O corpo de Raíssa Xavier dos Santos, de 12 anos, foi examinado nesta quarta (24), no Instituto Médico-Legal (IML) de Guarujá, pela legista Valeria Carla Quaggio Mendes e pelo auxiliar de necropsia Sérgio Tadeu Aredes Bonilha.

Devido ao estado de decomposição do cadáver, ainda não foi possível se confirmar a suposta ocorrência de estupro. Ainda são aguardados os resultados de exames complementares para saber se houve abuso sexual. A garota era deficiente mental e foi achada despida.

Raíssa foi vista pela última vez por volta das 15 horas de domingo (21). Na ocasião, ela saiu de casa, na Rua Aratinga, no Jardim Enseada, dizendo para a avó que brincaria com outras crianças em frente ao imóvel.

Essa informação foi prestada segunda-feira (22) à tarde, na Delegacia de Guarujá, por Maria Rita Silvia Batista, de 52 anos, avó de Raíssa. Ela possuía a guarda definitiva da neta e, inicialmente, registrou o desaparecimento da menina.

Com o encontro do corpo na terça-feira, o caso passou a ser apurado pelo Setor de Homicídios da Delegacia Especializada Antissequestro (Deas) de Santos. A morte de Raíssa revoltou moradores da comunidade onde ela morava e trouxe apreensão, porque várias crianças ali residem.

    

Veja Mais