Homem mata ex-namorada e criança a facadas em Vicente de Carvalho

Após término de relacionamento, o acusado assassinou a ex, de 20 anos, e o irmão da jovem, de apenas 12

20/08/2017 - 19:16 - Atualizado em 20/08/2017 - 19:26

Nathália e o irmão foram mortos a facadas
(foto: Reprodução Facebook)

O fim de um relacionamento terminou com um duplo homicídio na manhã deste domingo, no Jardim Boa Esperança, em Vicente de Carvalho. 

Inconformado com a decisão da atendente Nathalia Aparecida dos Santos Silva, de 20 anos, de não reatar o namoro, Matheus Fernandes da Silva, de 24, teria ido a casa da jovem e a matado com golpes de faca. Lá, ele também teria assassinado o irmão da garota, Matheus Santos Silva, de 12 anos. 

A brutalidade foi cometida por volta das 11 horas, na Rua Álvaro Leão Carmelo. Os avós das vítimas, que moram em uma casa na mesma via, viram o acusado saindo de dentro do imóvel. 

No portão da residência de Nathalia, a Polícia Militar apreendeu uma mochila, que, provavelmente, pertencia a Fernandes. Dentro, havia uma faca suja de sangue. 

O duplo homicídio, aliás, foi descoberto pela avó dos irmãos, uma aposentada de 57 anos. Em depoimento à polícia, ela contou que escutou um barulho na casa dos netos e ao sair para ver o que ocorria deparou-se com Fernandes deixando a residência. Ainda de acordo com a testemunha, o romance da neta com o acusado era marcado por muitas brigas. 

Ao entrar na moradia, a aposentada encontrou a neta no chão da sala e o neto estirado no quarto. Os dois ensanguentados. Desesperada, ela pediu ajuda e vizinhos acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Porém, ao chegar os médicos já encontraram as vítimas mortas. 

Ferimento na mão

Avisada dos assassinatos, a PM compareceu no local do crime e, junto a populares, tomou conhecimento do endereço do acusado. Lá, conversaram com a avó de Fernandes, que informou ter visto o neto sair com ferimentos em uma das mãos. 

Buscas foram feitas em unidades de saúde de Guarujá e Vicente de Carvalho por policiais civis e militares, mas até o fechamento desta edição o suspeito não havia sido localizado. O caso foi registrado na Delegacia de Guarujá pelo delegado Caio Azevedo de Menezes. 

As apurações da brutalidade estão em andamento e são coordenadas pelo chefe dos investigadores da Cidade, Paulo Cunha, e pelo delegado Marco Antonio do Couto Perez. 

Denúncias

Informações que possam levar a polícia à elucidação do crime ou à localização do acusado podem ser feitas por meio dos telefones 181 (Disque Denúncia) ou 3386-6992 (Delegacia do Município). Não é preciso se identificar para fazer denúncias. 

Veja Mais