Homem e sobrinho de 14 anos são flagrados com 51 kg de cocaína no José Menino

No apartamento em frente ao Orquidário, droga estava dividida em 47 tijolos

20/09/2018 - 17:15 - Atualizado em 20/09/2018 - 17:15

Cocaína foi encontrada em bolsas de viagem de cor preta (Foto: Divulgação)

Um homem e o seu sobrinho de apenas 14 anos foram surpreendidos em um apartamento no José Menino, na tarde de quarta-feira (19), onde policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) acharam 51 quilos de cocaína.

A droga estava dividida em 47 tijolos, acondicionados em quatro bolsas de viagem da cor preta. Os tabletes de cocaína deveriam ter, pelo menos, dois destinatários, porque estavam identificados com as inscrições BB e Hollywood.

O apartamento fica na Praça Washington, em frente ao Orquidário. A equipe do delegado Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior e do investigador Paulo Carvalhal foi até lá após receber informação de que um procurado da Justiça chamado “Alexandre” ali se refugiava.

O imóvel não estava trancado, mas fechado apenas com a maçaneta. Como sentiram cheiro de maconha exalando do interior do apartamento, os policiais abriram a porta e entraram. No local se encontravam Francisco de Souza Neto, de 55 anos, e o sobrinho, que admitiram ter acabado de fumar um cigarro da erva.

Em um quarto foram achadas as bolsas com os 51 quilos de cocaína. Homem e sobrinho disseram ignorar que havia droga na moradia, apontando “Alexandre” como o responsável pelo local. Eles também disseram que este homem havia sido capturado durante a madrugada em Guarujá.

Em pesquisa no sistema de dados da Polícia Civil, a equipe da DIG apurou que dois procurados da Justiça foram presos em Guarujá na madrugada de quarta-feira (19): Wellington Tomaz do Carmo, de 32 anos, e José Carlos Coutinho Chaves, de 40.

A dupla estava em um New Beetle preto, com placa de Juazeiro (BA), que colidiu em um poste de sinalização de trânsito durante perseguição de policiais militares. 

Wellington dirigia o carro e não obedeceu à ordem de parada dada pelos PMs. No veículo havia uma pistola Glock 9 milímetros e dois carregadores municiados com o total de 29 cartuchos.

O adolescente e o tio reconheceram por meio de fotografia Wellington como sendo o homem que chamavam de Alexandre.

O delegado Lara autuou Francisco em flagrante por tráfico e determinou a sua remoção à cadeia. O sobrinho foi encaminhado a uma unidade da Fundação Casa, onde permanece à disposição da Vara da Infância e da Juventude.

Veja Mais