Homem é preso em Praia Grande por aplicar golpe do empréstimo consignado

Ericon Clemente de Almeida, de 45 anos, se passou por um aposentado residente em Santo André

25/06/2018 - 16:53 - Atualizado em 25/06/2018 - 18:07

Carteiras de trabalho e CNH's foram em nome de
outras pessoas foram apreendidas (Foto: Divulgação)

Um homem foi preso em flagrante em Praia Grande após assinar contrato de crédito consignado de R$ 47.040,71, passando-se por um aposentado residente em Santo André.

 

Com a sua captura, Ericon Clemente de Almeida, de 45 anos, passa a ser alvo de investigações de policiais da Delegacia de Praia Grande, porque em sua casa foi apreendido farto material supostamente utilizado na prática de golpes contra outras pessoas.

“O material usado pelo acusado para pedir o empréstimo consignado foi fornecido pelo banco, porque são provas do estelionato. Os documentos achados na casa dele também foram apreendidos para identificarmos novas vítimas e elucidarmos mais golpes”, disse o investigador-chefe Alexandre Ventura Júnior.

A prisão de Ericon ocorreu logo após ele sair da agência do Bradesco situada na Avenida Presidente Kennedy, 7.580, no Ocian. Policiais civis foram ao local após serem informados por um analista de segurança digital do banco sobre uma “transação suspeita” realizada pelo cliente.

Os investigadores Maurício Rodrigues, José Ricardo da Silva e Alex Brancolin disseram que Ericon se identificou com o seu nome verdadeiro ao ser abordado. Porém, o acusado portava uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) adulterada, na qual está a sua fotografia, mas com o nome e os demais dados pessoais do aposentado.

Sob o comando do delegado titular do município, Carlos Henrique Fogolin de Souza, os policiais conversaram com o analista de segurança digital do banco e apuraram que Ericon utilizou a CNH falsa para abrir uma conta-corrente no dia 4 de junho.

Na última sexta-feira (22), também passando-se pelo aposentado, o acusado retornou ao Bradesco e pediu o empréstimo de mais de R$ 47 mil consignado ao benefício recebido pela vítima do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O suposto aposentado chegou a assinar contrato, mas não teve o crédito liberado em sua conta de imediato. A gerência do banco lhe disse que a liberação do empréstimo ocorreria em até 48 horas, porém, na realidade, ainda analisava a transação.

Flagrante a apreensões

Além da CNH falsa, Ericon portava três extratos da Caixa em nome de terceiros, “indícios de outros golpes”, conforme salientou o investigador Ventura. Conduzido à delegacia, o acusado foi autuado por estelionato e falsificação de documento público pelo delegado Luciano Samara Tuma Giaretta.

Morador no Mirim, o falso aposentado invocou o direito constitucional de permanecer calado ao ser interrogado por Tuma. Ele teve a sua casa revistada pelos policiais, que lá apreenderam farta quantidade de materiais que foi ou ainda seria usada em outros golpes.

Convidado para acompanhar as buscas na moradia como testemunha, um vizinho de Ericon disse aos investigadores que não queria se envolver, porque “Pelé é encrenqueiro”, referindo-se ao autuado.

No imóvel foram recolhidas duas Carteiras de Trabalho e mais nove CNHs em nome de outras pessoas, além de oito documentos de identidade (RGs) de terceiros, mas com a foto de Ericon. CPF, nove cartões bancários, 23 folhas de cheques e uma máquina de cartões de crédito e débito completaram a lista de materiais apreendidos.

Até um televisor, que já estava instalado na sala, foi levado pelos investigadores. A nota fiscal da recente aquisição do aparelho indica como comprador o mesmo aposentado em cujo nome Ericon tentou obter o empréstimo consignado no Bradesco.

Veja Mais