Homem é baleado ao tentar matar funcionário público em Praia Grande

Detido chegou a fugir, mas deu entrada no hospital horas depois e foi reconhecido por vítima

25/09/2018 - 11:50 - Atualizado em 25/09/2018 - 12:38

Vítima conseguiu reconhecer facilmente agressor, por
causa das tatuagens em seu corpo (Foto: Divulgação)

Baleado na região glútea após tentar matar a tiros um funcionário da Fundação Casa, em Praia Grande, Matheus Queirós de Carvalho, de 24 anos, recebeu alta médica no domingo e foi recolhido à carceragem da delegacia do Município.

Até esta segunda-feira (24), o rapaz aguardava transferência para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Praia Grande. O agente público continua internado no Hospital Municipal Irmã Dulce, mas o seu estado é estável, embora tenha sido operado para extrair a vesícula e parte do intestino.

Essas informações foram prestadas pelo delegado titular de Praia Grande, Sérgio Lemos Nassur. Ele autuou Matheus em flagrante por tentativa de homicídio qualificado. As investigações prosseguem para identificar um suposto segundo envolvido no atentado.

De acordo com Nassur e o investigador Nivaldo Ribeiro, o funcionário da Fundação Casa caminhava pela Avenida dos Trabalhadores, no Antártica, na última sexta-feira (21), quando foi atingido por disparos efetuados por Matheus.

O marginal estaria na garupa de uma moto Honda CG 150 Titan cinza, cujo piloto fugiu a pé sem ser identificado. O veículo foi abandonado, sendo apreendido pela Polícia Civil para ser periciado e ter a procedência apurada.

“O indiciado já chegou atirando e a vítima, que estava armada, revidou os disparos em legítima defesa. O agente da Fundação Casa foi levado para o Irmã Dulce, onde Matheus deu entrada horas depois, após ter fugido correndo supostamente com o piloto da moto”, disse Ribeiro.

Uma testemunha identificada pelos policiais civis declarou que, logo após o tiroteio, viu Matheus correndo baleado. Na fuga, o acusado dispensou um revólver calibre 38, que foi recuperado. Na arma havia quatro cartuchos deflagrados.

A bala que atingiu Matheus no glúteo percorreu até a região abdominal. A testemunha não teve dúvidas em reconhecê-lo, principalmente por causa das luzes em seus cabelos e de várias tatuagens no peito e na barriga, entre as quais duas rosas, um coração, uma gueixa, uma coroa e o nome Alice.

Veja Mais