Homem é assaltado durante a madrugada na Ilha Porchat

Vítima estava no carro, estacionado em frente a extinta boate Juá, quando foi abordado por dois bandidos em outro veículo

12/09/2018 - 06:30 - Atualizado em 12/09/2018 - 06:30

Ao descer a Ilha Porchat, a vítima informou a dois PMs
o crime; os bandidos foram presos (Luigi Bongiovanni/AT)

Armados com réplicas de pistola, dois rapazes assaltaram um babalorixá de 46 anos, às 4 horas de terça-feira (11), no bolsão de estacionamento onde funcionava a extinta boate Juá, na Ilha Porchat, em São Vicente.

“Estava sozinho em meu carro quando eles (ladrões) chegaram em outro veículo com o farol alto, impediram a minha saída e me obrigaram a descer”, detalhou a vítima. Ela teve carteira, óculos de grau Ray-Ban e celular roubados.

Logo após o assalto, o babalorixá desceu a Ilha Porchat com o seu automóvel e se deparou com dois policiais militares em uma viatura. Informados sobre o roubo, os PMs subiram o morro e prenderam os acusados em um Chevrolet Onix.

Johnny Willian Moraes de Santana e Caio Murça Silvestre têm 22 anos e estavam no Onix, onde foram achados os óculos e o celular da vítima. No carro também havia as réplicas de armas de fogo e duas toucas pretas que os acusados usavam no momento do roubo.

Com quatro cartões bancários, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a quantia de R$ 223,00, a carteira do babalorixá não foi recuperada, porque os rapazes a dispensaram momentos antes de serem capturados pelos policiais.

A prisão da dupla aconteceu logo após ela ingressar em uma rua sem saída da Ilha Porchat na tentativa de fugir. Conduzidos à Delegacia de São Vicente, Caio e Johnny foram autuados pelo delegado Armando Prado Lyra Neto por roubo qualificado e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Uma das letras do Onix havia sido adulterada com fita isolante pelos acusados. A dupla admitiu ter feito a modificação no emplacamento antes do assalto para evitar ser posteriormente descoberta.

Veja Mais