Guarda-parque morre em naufrágio no Rio Itapanhaú, em Bertioga

Profissional de 23 anos desapareceu na segunda-feira e foi encontrado na manhã desta terça

02/05/2017 - 17:56 - Atualizado em 02/05/2017 - 18:01

Um guarda-parque morreu afogado quando a embarcação em que estava com um colega naufragou na noite desta segunda-feira, 1º de maio , no Rio Itapanhaú, em Bertioga, litoral do Estado de São Paulo. O corpo de Wanderley Aparecido dos Santos Quirino, de 23 anos, foi encontrado por equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil somente na manhã desta terça-feira, 2.

Quirino e o colega faziam a vigilância do Parque Estadual Restinga de Bertioga, unidade de conservação da Fundação Florestal, vinculada à Secretaria do Meio Ambiente do Estado, quando aconteceu o naufrágio. 

O parque, de 9,3 mil hectares, é importante corredor ecológico entre os ecossistemas costeiros e a Serra do Mar. A vigilância é necessária para coibir a invasão da unidade de conservação por pescadores e caçadores ilegais.

O barco PERB, da Fundação, teria virado após a passagem de uma lancha, que produziu ondas altas. 

De acordo com os bombeiros, o guarda-parque não sabia nadar e vestia um colete à prova de balas, o que pode ter contribuído para o afogamento. O outro funcionário conseguiu nadar até a margem do rio e pediu socorro.

Peritos da Capitania dos Portos de São Paulo, órgão da Marinha do Brasil, estiveram no local na manhã desta terça para coletar informações. "Um inquérito administrativo será instaurado para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades", informou em nota. 

A Fundação Florestal informou, por meio de nota, que uma sindicância foi aberta para apurar o acidente. Informou ainda que está colaborando com as investigações da Polícia Civil sobre o afogamento do guarda-parque.

Veja Mais