Festa da campeã do Carnaval acaba em confronto com a polícia

Confusão ocorreu do lado de fora da quadra da União Imperial. Moradores citaram jovens consumindo bebidas alcoólicas

07/02/2018 - 11:17 - Atualizado em 07/02/2018 - 11:39

Muitas garrafas quebradas eram vistas nas ruas ainda pela manhã (Foto: enviadas via WhatsApp)

Uma semana após atos de vandalismo causarem a exclusão de duas bandas participantes do Carnabanda, novamente a alegria de foliões terminou em confusão com a polícia - dessa vez no bairro Marapé, na madrugada desta quarta-feira (7).

Segundo moradores da região ouvidos por A Tribuna On-line, e que não quiseram se identificar, assim que a comemoração pelo título da União Imperial na elite do Carnaval santista terminou, por volta de meia-noite, o público presente à quadra da escola de samba deixou o local juntando-se a um grupo de pessoas que já estava reunido nas ruas próximas. A aglomeração gerou perturbação da ordem em via pública e a polícia foi chamada.

Ainda de acordo com relatos, ao tentar dispersar a multidão, algumas pessoas, insatisfeitas com a ordem para ir embora, responderam à ação policial jogando garrafas contra o efetivo, que respondeu com bombas de gás lacrimogêneo.

Polícia utilizou bombas de gás lacrimogêneo para
dispersar multidão (Foto: Enviadas via WhatsApp)

Bebidas e adolescentes

Testemunhas afirmaram que era grande a presença de jovens e adolescentes nas aglomerações do lado de fora da escola. "Havia muito jovem e muito adolescente. Eles compravam os 'combos' de vodca e energético e bebiam em grupos", afirmou um morador do bairro, que é torcedor da escola e lamentou como a festa terminou. "Enquanto a comemoração acontecia do lado de dentro da escola, não havia nenhuma polícia, pois não houve nenhum problema", disse.

Outra pessoa ouvida pela Reportagem comentou sobre a quantidade de ambulantes nos arredores da escola. "Eram muitos, e vendiam a qualquer um. Mas foram todos embora quando a polícia chegou. Nunca vi um ambulante recolher seu carrinho tão rápido", declarou com surpresa.

Na manhã desta quarta, o local amanheceu repleto de copos plásticos, garrafas de bebida alcóolica, algumas quebradas. Cerca de 25 garis faziam a varrição das ruas próximas.

União Imperial

Em contato com A Tribuna On-line, o assessor de imprensa da União Imperial, Leandro Sardinha, lamentou o episódio. "Foram fatos isolados, ocorridos fora do espaço da escola, na rua, mas que mesmo assim lamentamos. Isso prejudica toda a festa e o trabalho, e a relação com a comunidade, pois são pessoas que não sabemos de onde vêm e causam esse tumulto", disse. 

A Tribuna On-line entrou em contato com a Polícia Militar mas, até a publicação desta reportagem, não houve retorno.

Veja Mais