Delegado aponta morte de recém-nascida encontrada no lixo como homicídio

Delegacia de Santos está em busca de pistas para elucidar o crime que ocorreu no Gonzaga

28/06/2018 - 13:57 - Atualizado em 28/06/2018 - 16:01

Corpo da bebê recém-nascida estava dentro de lixeira localizada na Rua Bahia, em Santos (Foto: Nirley Sena/AT)

O Setor de Homicídios da Delegacia Especializada Antissequestro (Deas) de Santos está em busca de pistas para elucidar a morte do bebê do sexo feminino achado dentro de um contentor de lixo, na manhã desta quinta-feira (28), no Gonzaga.

Embora ainda se aguarde laudo de exame necroscópico para se saber a causa da morte e o provável tempo no qual o bebê permaneceu vivo, o delegado Renato Mazagão Júnior não tem dúvidas de que se trata de homicídio.

“Não é natimorto e a hipótese de aborto está descartada. Foi um homicídio e estamos investigando”, afirmou o titular da Deas. Com um elástico de cabelo preto ao redor do pescoço, a criança estava despida e foi encontrada envolta a uma fronha azul marinho em frente ao Edifício Marajoara, na Rua Bahia, 144.

Corpo do bebê foi removido de dentro da lixeira e levado ao IML, onde serão realizados outros exames (Foto: Nirley Sena)

O local foi isolado para que peritos criminais pudessem recolher o máximo possível de eventuais vestígios. Os investigadores da equipe de Mazagão verificam imagens de câmeras de segurança. A expectativa é a de que alguma delas tenha registrado o descarte do corpo da menina no contentor de lixo.

Em casos do gênero também faz parte das investigações a checagem dos prontuários clínicos de maternidades. O objetivo é realizar o levantamento das meninas que nasceram recentemente na região e verificar se elas estão com as respectivas mães.

Veja Mais