Crime do carrinho teve motivação passional

A prisão ocorreu na residência do acusado, na Avenida Pedro Lessa, no Embaré.

21/11/2017 - 21:10 - Atualizado em 21/11/2017 - 21:17

Uma discussão por razão passional motivou o assassinato a facadas do homem cujo corpo foi encontrado dentro de um carrinho de supermercado, no Estuário, em Santos.

Autor confesso do homicídio, Carlos José Conceição, o Kiko, de 49 anos, foi preso e relatou que o desentendimento ocorreu após ele desconfiar de que a sua mulher e a vítima mantiveram um caso amoroso.

Kiko foi detido por policiais do Setor de Homicídios da Delegacia Especializada Antissequestro (Deas), às 13 horas de segunda-feira. A prisão ocorreu na residência do acusado, na Avenida Pedro Lessa, no Embaré.

Os investigadores já reuniam informações sobre o provável envolvimento de Kiko no crime e ele admitiu ter matado a facadas o desafeto, identificado como Renan Pereira Totaru, de 47 anos.

Na tentativa de eliminar vestígios do crime, o acusado dobrou o corpo da vítima, o amarrou com fios de cobre e o colocou em um carrinho de supermercado, abandonado na Rua Antônio Maia.

O corpo de Renan foi encontrado dobrado em um carrinho de supermercado (Foto: Rogério Soares/AT)


Após a confissão de Kiko e a obtenção de outras provas contra ele, o delegado Renato Mazagão Júnior requereu a sua prisão temporária de 30 dias. O pedido foi deferido pela juíza Renata Sanches G. Gusmão, que atuava no plantão judiciário de Santos.

Por se tratar de crime hediondo, esse prazo pode ser prorrogado mais uma vez, por igual período. Porém, até lá, Mazagão pretende concluir o inquérito policial e requerer a prisão preventiva de Kiko.

Com passagens pelos delitos de tentativa de homicídio, estelionato e maus-tratos contra menor de 14 anos, Kiko foi encaminhado à cadeia anexa ao 5º DP de Santos.

Veja Mais