Carro dirigido por menor de idade foi comprado há uma semana

Adolescente de 17 anos ganhou o automóvel de aniversário; no dia 16 de dezembro completará a maioridade

01/11/2017 - 21:00 - Atualizado em 01/11/2017 - 21:02

Um adolescente de 17 anos, que completará a maioridade em 16 de dezembro, era quem dirigia o Audi A3 prata que causou a morte de um menino de apenas 2 anos e a sua tia, de 18, ao atropelá-los no canteiro central da Avenida Dr. Waldemar Leão, no Jabaquara, no início da tarde de terça-feira.

Com o paradeiro até o começo da noite ignorado pela polícia, o adolescente comprou o carro em 25 de outubro pelo valor de R$ 57 mil e deu entrada na transferência do veículo pouco antes do atropelamento, conforme protocolo do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Advogado do ex-dono do veículo acompanhou o 
cliente à delegacia para esclarecimentos 

O pagamento foi feito pelo pai do adolescente, um empresário, que afirmou ao vendedor do Audi ser um presente de aniversário antecipado para o filho. Essas informações foram prestadas nesta quarta-feira (1) à tarde pelo homem de 32 anos que vendeu o automóvel importado.

Com a condição de ter o nome e a imagem do rosto preservados, o ex-dono do Audi concedeu entrevista para A Tribuna logo após prestar depoimento à delegada Daniela Perez Lázaro, assistente do 2º DP de Santos. Ele compareceu espontaneamente ao distrito acompanhado do advogado Armando de Mattos Júnior.

“Não tenho nada a ver com o atropelamento e vim aqui com o meu advogado para esclarecer isso. Vendi o carro em 25 de outubro e o pai do comprador me disse que o veículo ficaria na garagem, porque o filho ainda está tirando carteira de habilitação e não tem 18 anos”, afirmou o vendedor.

Indagado se sofreu alguma ameaça ou retaliação, antes que fosse esclarecida a identidade de quem dirigia o Audi no momento do duplo atropelamento, o ex-proprietário respondeu que não, mas sentiu-se na obrigação de colaborar com a investigação, além de demonstrar a sua inocência.

“O negócio foi feito como determina a legislação. As partes foram ao cartório, de modo que no cadastro do Detran consta a comunicação de venda. Porém, compete a quem adquire realizar a transferência para o seu nome”, disse o advogado Mattos Júnior.

O comprador deu entrada no procedimento de transferência na terça-feira, pouco antes do atropelamento. Cópia do protocolo do Detran, com previsão de entrega do novo Certificado de Registro de Veículo (CRV) para a próxima segunda-feira, foi entregue pelo advogado no distrito.

Enzo Henrique Siqueira Ricardo, que faria 3 anos no próximo domingo, faleceu a caminho da Santa Casa de Santos. A sua tia, Isabel Cristina Siqueira Rodrigues, foi internada no mesmo hospital em estado grave, falecendo por volta das 5 horas desta quarta-feira.

Segundo testemunhas, o Audi trafegava em alta velocidade pela pista sentido praia da Waldemar Leão. Após desviar de um motociclista, quase atropelando-o, o carro invadiu o canteiro central, atingindo a jovem e o sobrinho.

Acompanhado de um amigo, que também seria menor de idade, o adolescente que comprou o Audi fugiu. Logo em seguida, ele parou o veículo em um posto na mesma avenida para verificar os danos no carro. Estilhaçado com o impacto do atropelamento, o para-brisa continha um chumaço de cabelo na parte superior.

O passageiro foi embora a pé e o motorista embarcou de novo no Audi, até abandoná-lo em definitivo na Avenida Rangel Pestana, ao lado do Centro de Treinamento do Santos. Desse local, o adolescente seguiu a pé para lugar ainda desconhecido.

Veja Mais