Bicicleta de jovem morto em assalto em SV é encontrada em frente a fórum

Veículo, reconhecido pela família, foi encontrado no mesmo dia em que ocorria a primeira audiência do caso

20/09/2017 - 11:55 - Atualizado em 20/09/2017 - 12:24

Bicicleta do garoto, morto em abril, foi localizada durante audiência no Fórum de SV  (Foto: Adriana Cutino/G1)

A bicicleta roubada do jovem Gabriel Aquino Muniz de Souza, 19 anos, morto a facadas na madrugada de 18 de abril, em um terreno da Avenida Martins Fontes (Linha Amarela), no Centro de São Vicente, foi encontrada nesta terça-feira (19), em frente ao Fórum de São Vicente, na mesma data em que era realizada a primeira audiência sobre o assassinato do garoto. 

 

O jovem, que voltava da casa da namorada, em Santos, foi abordado pelos irmãos Wisman  Leão Machado, de 29 anos, e Wisman Francisco Xavier, de 34, que confessaram o crime e estão presos desde maio. Na ocasião, além da bicicleta, os bandidos roubaram o celular e a mochila de Gabriel. 

Emocionado, o pai do rapaz reconheceu a bicicleta roubada do filho. Em entrevista à TV Tribuna, ele afirmou ter montado a bicicleta com peças que havia comprado. “É a bicicleta do Gabriel porque fui eu que montei, coloquei todas as peças. A bicicleta que o meu filho estava em cima quando o assassinaram com três facadas”, lamentou. 

O veículo, apreendido para ser periciado, pertencia a funcionária de uma empresa terceirizada, que presta serviço no local. Provavelmente, ela teria sido comprada dos criminosos. 

A audiência realizada no Fórum de São Vicente, nesta terça-feira, foi a primeira sobre o caso. Foram ouvidas seis testemunhas, entre elas a mãe dos dois suspeitos do crime e a mulher de um deles. 

O primeiro irmão a ser preso foi Willian, no dia 30 de abril. Ele foi reconhecido como autor de um roubo mediante uso de faca no mesmo trecho da Linha Amarela onde aconteceu o latrocínio. A vítima também era um jovem que pedalava uma bicicleta e só não foi golpeado porque se esquivou a tempo, pulando do veículo.

Como não houve flagrante, o delegado Renato Mazagão, da Delegacia Especializada Antissequestro de Santos (Deas), requereu à Justiça a prisão temporária de Willian e teve o seu pedido acolhido. A custódia cautelar também possibilitou aos policiais da Deas investigar o provável envolvimento desse acusado na morte de Gabriel.

A partir de Willian, os policiais identificaram Wisman e o detiveram dias depois. Willian esfaqueou Gabriel, enquanto Wisman pegou os seus bens e os vendeu, segundo o delegado.

Veja Mais