Advogado de motorista envolvido em acidente no Canal 3 entrará com habeas corpus

Preso quarta-feira à noite em Curitiba (PR), o universitário Allan Bonfim Silveira, de 22 anos, dormiu pela primeira vez na cadeia.

20/04/2017 - 21:18 - Atualizado em 20/04/2017 - 23:16
Estudante foi detido na entrada da sala de aula
(Foto: Divulgação)

Contra a decisão do juiz Edmundo Lellis Filho, da Vara do Júri de Santos, que decretou de ofício (por iniciativa própria) a prisão preventiva de um jovem acusado de causar a morte de outro rapaz em acidente automobilístico no Gonzaga, o advogado Eugênio Malavasi impetra nesta sexta-feira (21) habeas corpus, com pedido liminar.

 

Em virtude do Feriado de Tiradentes, o pedido da defesa será apreciado pelo plantão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Preso quarta-feira à noite em Curitiba (PR), o universitário Allan Bonfim Silveira, de 22 anos, dormiu pela primeira vez na cadeia.

Acidente ocorrido em julho do ano passado causou a morte de Patrick da Rocha Cerodio

A ordem de captura do estudante foi realizada por policiais civis de Curitiba, por volta das 19 horas. Preso no momento em entrava na sala de aula, na Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Paraná, onde cursa Ciências Econômicas, Allan demonstrou surpresa e indignação, pelo constrangimento de ser detido na frente de colegas e professores.

Logo após o cumprimento do mandado de prisão, policiais da Delegacia Especializada Antissequestro (Deas) de Santos, que haviam localizado o paradeiro do universitário por meio do Facebook, foram de viatura até Curitiba para buscá-lo. A viagem ocorreu durante a madrugada. Pela manhã, eles chegaram com o jovem em Santos, que se encontra no Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Vicente.

Incumbidos de localizar e prender Allan, os policiais da Deas foram inicialmente ao seu endereço, no Morro Santa Terezinha, em Santos. Não havia ninguém no imóvel e, por meios das redes sociais, os investigadores apuraram que ele estava estudando na PUC, em Curitiba.

Após essa descoberta, cópia da ordem de captura e fotos que o jovem postou em seu perfil no Facebook foram enviadas pelos policiais santistas aos colegas paranaenses, que não tiveram dificuldades para identificar o rapaz e prendê-lo no momento em que entrava na sala de aula.

Colisão em poste

Na madrugada de 8 de julho de 2016, Allan dirigia em alta velocidade a Mercedes-Benz C180, modelo 2015, pertencente ao pai. Ele transitava pela pista sentido praia da Avenida Washington Luiz, quando perdeu o controle do carro e colidiu em um poste, entre a Rua Galeão Carvalhal e a orla.

Patrick da Rocha Cerodio, de 22 anos, ocupava o banco frontal do passageiro. Ele teve o braço direito decepado e faleceu cerca de três horas depois na Santa Casa de Santos. Um outro jovem sentava no banco traseiro e não se feriu.

Allan fugiu do local do acidente, apresentando-se dias depois no 7º DP de Santos. Em entrevista exclusiva para A Tribuna, o estudante negou ter consumido bebida alcoólica e disse que dirigia a cerca de 70 km/h. O jovem atribuiu o acidente a um “desnível na pista”.

Veja Mais