Acusado de matar comerciante com um tiro na cabeça é preso

Latrocínio ocorreu na manhã do último dia 15 no Guilhermina

26/12/2017 - 14:03 - Atualizado em 26/12/2017 - 14:10

Edson Reis de Andrade chegou a ser socorrido,
mas morreu dias depois (Foto: Divulgação)

Acusado de matar um comerciante com um tiro na cabeça, durante assalto em Praia Grande, Lucas Alexandre Barbosa, de 22 anos, foi preso nesta terça-feira (26), naquele município. O latrocínio aconteceu na manhã do último dia 15.

De modo informal, conforme o delegado Juvenal Marques Ferreira Filho e o chefe dos investigadores Olívio Bento, do 1º DP de Praia Grande, Lucas confessou a autoria do disparo, mas não informou o nome do seu comparsa.

A pedido de Marques, a Justiça decretou a prisão temporária de 30 dias de Lucas, que possui passagens por roubo e saiu da cadeia em junho. Por se tratar de crime hediondo, a custódia cautelar pode ser prorrogada mais uma vez, por igual período, se houver necessidade às investigações.

O delegado disse que irá requerer a preventiva de Lucas antes de esgotar a temporária. Enquanto isso, as investigações prosseguem objetivando identificar e capturar o segundo envolvido no roubo seguido de morte. A pena do latrocínio varia de 20 a 30 anos de reclusão.

Em uma viatura descaracterizada, os policiais Bento, Willian Ceccon e Ronaldo Ramos prenderam Lucas na Rua Roberto Santos, na Vila Sônia. O rapaz dirigia um Celta azul escuro, pertencente à avó. O carro é o mesmo que foi utilizado no latrocínio.

“Após o tiro, Lucas e o parceiro correram até o veículo, que havia sido estacionado na esquina, e fugiram. Analisamos várias imagens de câmeras de segurança, realizamos o cruzamento de placas e chegamos até o acusado”, contou Bento.

O preso disse que atirou na vítima com um revólver calibre 38, porque ela reagiu. De acordo com o ex-detento, ele vendeu a arma após o latrocínio, não revelando detalhes sobre o comprador. Essa versão ainda é checada.

Quando foi preso, o acusado dirigia este Celta azul (Foto: Divulgação)

Como foi


Edson Reis de Andrade, de 43 anos, comercializava chinelos e utilizava uma caminhonete Volkswagen Amarok para realizar as suas vendas. Acompanhado de um sobrinho de 24 anos, também morador em Campinas, ele estacionou o veículo na Rua Peru, no Guilhermina, quando surgiram dois assaltantes.

A dupla anunciou roubo e começou a pegar relógio, corrente de ouro e celulares das vítimas. Até o par de tênis do sobrinho do comerciante foi roubado. Depois, os ladrões abriram a porta da Amarok e apanharam cerca de R$ 5 mil.

Neste momento, o comerciante desferiu um soco no rosto de um assaltante, agora identificado como Lucas, que atirou em sua cabeça. Internado em estado grave no Hospital Irmã Dulce, Edson de Andrade faleceu quatro dias depois.

Veja Mais