Na volta de Felipe Melo, Palmeiras empata com o Bahia

Verdão sofreu pressão durante todo o segundo tempo e cedeu empate nos minutos finais

12/10/2017 - 22:55 - Atualizado em 12/10/2017 - 23:30

Atacante Willian anotou o primeiro gol do Palmeiras
(Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

O Palmeiras, no retorno de Felipe Melo, chegou abrir 2 a 0 sobre o Bahia, mas cedeu o empate e quase levou a virada nos minutos finais. Com o 2 a 2 desta quinta-feira (12), no Pacaembu, o Verdão foi a 44 pontos e está na quinta colocação. Já o Tricolor subiu para 32 pontos e ocupa a 14ª posição.

O time alviverde volta a campo neste domingo, às 17 horas, contra o lanterna Atlético-GO, no estádio Olímpico, em Goiania. No mesmo dia, às 19 horas, o Bahia recebe o líder Corinthians, na Arena Fonte Nova.

O jogo

Logo no primeiro minuto do jogo, o Palmeiras abriu o marcador, com Willian. O atacante finalizou após jogada que começou com roubo de bola de Dudu, que passou para Bruno Henrique antes de Deyverson receber e cruzar para a área, encontrando o autor do tento.

Apesar do susto, o Bahia tentou, aos poucos, ir ao ataque. Assim, o clube nordestino deu trabalho para Fernando Prass. O goleiro palmeirense fez duas belas defesas, uma aos 18, em tiro de Mendoza, e outra aos 21, em arremate de Vinícius.

O Verdão conseguiu ampliar aos 38. No lance, Tchê Tchê escorou para Willian. O atacante furou, mas Bruno Henrique chegou para finalizar e fazer o segundo gol do time da casa.

A impressão era de que o Palmeiras levaria o 2 a 0 para o intervalo. Entretanto, aos 46, Edgar Junio cabeceou, sozinho, para diminuir a diferença.

A etapa final começou com os baianos buscando o ataque. O time visitante apostou em trocas de passe e variação de lado de campo. Assim, aos 5, criou boa chance com Zé Rafael, meia que deixou dois defensores para trás e bateu de perna esquerda da entrada da área. Prass defendeu.

Sem conseguir pressionar o Bahia, o técnico Cuca mexeu. O treinador sacou Deyverson e mandou Borja a campo aos 12 minutos.

Apesar da entrada do colombiano, quem ameaçou foi Dudu. Aos 23, o atacante foi lançado na área. O goleiro Jean saiu para abafar, e o palmeirense tirou do arqueiro do Bahia e tentou finalizar de calcanhar. Jogou a bola nas mãos do camisa 1 adversário.

Aos 28, Cuca surpreendeu. Ele tirou Bruno Henrique para a entrada de Felipe Melo, volante que o técnico afastou do elenco no final de julho passado e que reintegrou há semanas. Grande parte da torcida o aplaudiu assim que foi acionado.

Mesmo com a proteção de Melo à frente da zaga, o Bahia voltou a assustar. Aos 31, Juninho falhou e deixou a bola com Edigar Junio. O atacante bateu firme. Prass defendeu parcialmente. Na sequência, antes de a bola cruzar a linha, o arqueiro alviverde agarrou-a.

O clube de Salvador (BA) chegou perto do empate aos 35. Após confusão na área, o defensor Rodrigo Becão, mesmo caindo, bateu por cima de Prass, que nem se mexeu. A bola passou perto da trave.

Aos 36, o goleiro do Verdão salvou novamente. Juninho deixou um marcador para trás e bateu cruzado. O arqueiro se esticou para espalmar.

Cuca mexeu de novo, e Roger Guedes entrou no lugar de Willian aos 40 e, um minuto depois, se envolveu em um lance duvidoso. O palmeirense tentou marcar Mendoza e caiu. O colombiano foi ao chão na sequência, e a arbitragem marcou o pênalti. Edigar Junio bateu e empatou o jogo.

Por pouco os visitantes não viraram. Aos 47, Mendoza bateu de fora da área, Prass se atrapalhou e quase deixou a bola balançar a rede.

Dois minutos depois, em contragolpe, o Tricolor desperdiçou uma grande oportunidade. Régis foi lançado na área e, livre, bateu por cima do gol, para sorte do Palmeiras, que segurou o empate, mas deixou o gramado do Pacaembu sob vaias de sua torcida.

Ficha técnica

Palmeiras

Fernando Prass; Tchê Tchê, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Thiago Santos, Bruno Hernique (Felipe Melo) e Moisés; Dudu, Deyverson (Borja) e Willian (Róger Guedes). Técnico: Cuca.

Bahia

Jean; Eduardo, Rodrigo Becão, Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Juninho, Renê Júnior (Feijão), Vinícius (Rodrigão) e Zé Rafael (Régis); Mendoza e Edigar Junio. Técnico: Paulo César Carpegiani.

Gols: Willian, a 1 minuto, Bruno Henrique, aos 38, e Edigar Junio, aos 46 minutos do primeiro tempo; Edigar Junio, aos 43 minutos do segundo tempo. Cartões amarelos: Edu Dracena (Palmeiras); Renê Júnior e Mendoza (Bahia). Árbitro: Rafael Traci(PR). Renda: R$ 739.950,00. Público: 24.299 pagantes (25.331 total). Local: Pacaembu, em São Paulo.

Veja Mais