Diante de críticas, Tchê Tchê afirma ter seu valor no Palmeiras

Volante vai completar 100 jogos pelo Verdão neste sábado, contra o Mirassol

08/02/2018 - 21:05 - Atualizado em 08/02/2018 - 21:13

Tchê Tchê segue como titular do time do Palmeiras
(Foto: Fabio Menotti/Ag Palmeiras/Divulgação)

Apesar das críticas de alguns torcedores, Tchê Tchê vai completar neste sábado (10), contra o Mirassol, 100 jogos pelo Palmeiras. Contratado em 2016 e peça fundamental no título brasileiro, o meio-campista é constantemente perguntado sobre a queda de desempenho em relação àquele ano. Ele diz que, embora não seja uma unanimidade, tem valor.

"O Tchê Tchê de 2016 foi só em 2016, agora é o de 2018. Muito difícil que vá repetir aquilo, já falei bastante sobre. Eu nunca fui uma unanimidade, nem pretendo ser. Quero falar pouco, não importa ser preferido de um ou outro, quero ajudar ao Palmeiras. Não me preocupa a oposição de um ou outro. Se sempre que troca o treinador eu continuo jogando é porque tenho algum valor e tenho de ter respeito, também", avisou o camisa 8.

De fato, Tchê Tchê foi mantido no time por Cuca, Eduardo Baptista, Alberto Valentim e agora Roger. O atual treinador diz acompanhar pouco as análises sobre o jogador, mas considera que o meio-campista cumpre tudo aquilo que se pede. 

"Muito se fala de você refazer uma coisa que já aconteceu nos anos anteriores, não vejo outros sendo cobrados assim, por que só sobre mim estes questionamentos? Vou ser sempre o Tchê Tchê de Guaianazes, que nasceu lá em 1992. Acho que virei uma pessoa melhor com o meu filho e são coisas que tentamos levar para a vida, a essência que meus pais me deram, sem pisar em ninguém, sem olhar feio a ninguém, porque somos todos iguais", respondeu.

"Tem pessoas que acham que eu possa ter mudado, mas todo dia eu vejo minha família e vejo que tem coisas boas. Estou sabendo lidar melhor com críticas este ano, estou feliz aqui, passa um filme na cabeça. Vim de um time considerado pequeno e atingir esta marcar. Fico muito feliz", completou.

Veja Mais