Borja faz três, Palmeiras vence e faz melhor campanha

Alviverde bate o Junior Barranquilla no Allianz Parque e garante os mata-matas como mandante

17/05/2018 - 00:12 - Atualizado em 17/05/2018 - 00:19

Criticado pela torcida, Borja (no centro) foi à forra na noite de quarta no Allianz e meteu três na rede
(Foto: Nelson Almeida/AFP)

Se o Palmeiras tiver mais crises no ano, pode chamar os reservas para resolver. Dias depois de perder para o Corinthians, ser criticado e viver turbulência, a equipe acionou os suplentes para alcançarem o objetivo. No Allianz Parque, o time bateu nesta quarta-feira (16) o Junior Barranquilla, da Colômbia, por 3 a 1 e confirmou a melhor campanha da fase de grupos da Copa Libertadores. A façanha permite a vantagem de decidir todos os confrontos do mata-mata como mandante.

O resultado rendeu a classificação do Boca Juniors também. O time argentino goleou o Alianza Lima por 5 a 0, em casa, e passa em segundo lugar graças à ajuda de palmeirenses que estavam em baixa. Criticado pela torcida, Borja fez três gols e o agora goleiro reserva Fernando Prass reviveu as noites de herói. Ele pegou pênalti e fez ótimas defesas.

Já classificado na Copa Libertadores, o Palmeiras entrou em campo com a ambição também de acalmar a própria torcida. A derrota no domingo para o Corinthians causou arremesso de objetos contra o ônibus da equipe e manifestações na arena. A organizada passou a partida mais calada e pediu a saída do técnico Roger Machado. O público restante pareceu bem impaciente e sem tolerância a erros do time.

Para piorar, as falhas foram numerosas no começo do jogo. O time teve nove reservas (só Borja e Dudu de titulares) e muitos erros de posicionamento. A defesa marcava mal, a criação era lenta e o ataque perdia gols por tentar caprichar demais nas jogadas. Pelo menos a partida foi movimentada, pois como o Junior precisava ganhar, foi ofensivo, deixou espaços e criou ótimas chances. Fernando Prass fez três ótimas defesas no primeiro tempo.

O intervalo ficou marcado por vaias e cânticos das torcidas, o que pareceu ter ajudado a incentivar o time no vestiário, voltando mais decidido. Após um chute no travessão de Tchê Tchê, Borja abriu o placar aos seis minutos e aumentaria aos 14. Entre um gol e outro, Prass defendeu um pênalti (de marcação duvidosa) cobrado por Barrera, vibrou intensamente e cativou a torcida.

O gol do Junior, feito por Gutierrez, foi uma pausa para a continuação do show de Borja. O palmeirense anotou o terceiro dele, aos 23, e deixou o campo aplaudido pela torcida e pelos companheiros. Se a decepção pela derrota no dérbi pode não estar totalmente sanada, os reservas mostraram ter brio e personalidade para contornarem as vaias do público.

Com o triunfo, o Palmeiras encerrou sua participação na fase de grupos da Libertadores com 16 pontos no Grupo H. O Boca Juniors, segundo colocado, somou nove. Com sete pontos, o Junior Barranquilla terminou em terceiro e terá vaga na Copa Sul-Americana. E o lanterna Alianza Lima obteve apenas um ponto na chave.


Ficha técnica

Palmeiras 3: Fernando Prass; Mayke, Luan, Emerson Santos e Victor Luís; Thiago Santos, Tchê Tchê (Bruno Henrique) e Guerra (Deyverson); Willian, Dudu e Borja (Hyoran). Técnico: Roger Machado.

Junior Barranquilla 1: Viera; Piedrahita, Ávila, Arias e Murillo (Pérez); Cantillo, Pico, Chará (Ruiz) e Barrera; González (Marulanda) e Téo Gutiérrez. Técnico: Julio Comesaña.

Gols: Borja, aos 6 e aos 14, Gutiérrez, aos 21, e Borja aos 23 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Emerson Santos, Piedrahita.

Árbitro: Enrique Cáceres (Paraguai).

Renda: R$ 1.621.350,28.

Público: 25.787 pagantes. 

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP).

Veja Mais