Renan elogia próximos rivais do Brasil no Mundial e minimiza favoritismo

Seleção estreia na segunda fase na sexta-feira (21), às 12 horas, contra a Austrália

19/09/2018 - 18:09 - Atualizado em 19/09/2018 - 18:15

Renan pede foco para não ser seleção não ser surpreendida (Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV)

Ao terminar a primeira fase do Mundial Masculino de Vôlei na liderança do Grupo B, a seleção brasileira acabou caindo em uma chave que pode ser considerada a mais tranquila da segunda fase da competição, na qual o time nacional vai estrear na sexta-feira (21), às 12 horas (de Brasília), em Bolonha, na Itália, contra a Austrália.

Integrante do Grupo F deste estágio seguinte do torneio, o Brasil também terá pela frente a Eslovênia, no sábado, e a Bélgica, no domingo, em confrontos nos quais atuará com franco favoritismo. A equipe também é favorita no embate com os australianos, mas o técnico Renan Dal Zotto afirmou nesta quarta-feira (19) que os seus comandados não podem se iludir com isso e precisam se manter focados para não serem surpreendidos.

"As três seleções chegaram aqui por méritos e estão no seu melhor momento dentro da competição após uma primeira fase muito boa. É preciso ter todo cuidado com as três equipes", alertou o treinador, em declarações reproduzidas pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

Ao projetar o duelo diante da Austrália, o comandante lembrou que a seleção da Oceania deu trabalho aos Estados Unidos em partida da primeira fase do Mundial, na qual os norte-americanos precisaram jogar cinco sets para derrotar a adversária.

"A Austrália fez um bom jogo contra uma das seleções mais fortes da atualidade, que é a equipe dos Estados Unidos, fazendo um resultado de 3 sets a 2. Eles têm um time alto e que tem o ataque como uma arma forte. Temos que encarar esse primeiro jogo da nova fase como uma primeira grande final", cobrou Renan.

A seleção brasileira chegou nesta quarta-feira em Bolonha e realizou um treino físico na academia dirigido pelo preparador Renato Bacchi. Antes disso, pela primeira fase do Mundial, o time nacional acumulou quatro vitórias (sobre Egito, França, Canadá e China) e uma derrota (para Holanda), em Ruse, na Bulgária, que abriga a competição em conjunto com a Itália.

Pelo regulamento do torneio, os pontos somados no estágio inicial são levados para a segunda fase, o que fará o Brasil encarar a Austrália na sexta-feira já como líder do Grupo F, com 11 pontos, mesmo depois desta chave já ter sido aberta no último sábado com a Eslovênia superando a Bélgica por 3 sets a 2.

Mesmo com a derrota, os belgas são os vice-líderes da chave, com dez pontos, enquanto os eslovenos ocupam o terceiro lugar, com nove, e os australianos estão na lanterna, com sete. Apenas os líderes de cada uma dos quatro grupos da segunda fase e os dois melhores segundo colocados avançarão ao terceiro estágio do Mundial. 

Nesta segunda fase, além da chave do Brasil, o Grupo E conta com Itália, Holanda, Rússia e Finlândia, o G tem Estados Unidos, Irã, Bulgária e Canadá, enquanto o H é composto por Polônia, Sérvia, França e Argentina. 

Veja Mais