Com reservas, seleção vence Bélgica de virada no Mundial

Com a derrota, europeus estão fora da fase final do Mundial; Brasil foge da Itália

23/09/2018 - 19:50 - Atualizado em 23/09/2018 - 19:54

Com classificação antecipada, técnico Renan Dal Zotto poupou titulares (Foto: Divulgação/FIVB)

Após assegurar vaga na fase final do Mundial, a seleção brasileira masculina de vôlei entrou em quadra com os reservas neste domingo (23) e suou para vencer a Bélgica, de virada, pelo placar de 3 sets a 2, com parciais de 22/25, 23/25, 25/19, 25/15 e 15/12, novamente na cidade italiana de Bolonha.

A classificação antecipada, obtida no sábado, permitiu ao técnico Renan Dal Zotto fazer testes entre os reservas e dar descanso aos titulares. A surpresa foi que o treinador mandou à quadra uma equipe totalmente reserva. No sábado, ele havia indicado que iria preservar somente Lipe e Lucão.

Porém, decidiu escalar a seleção com William, Evandro, Éder, Kadu, Lucas Loh e Maurício Souza. Manteve apenas o líbero Thales Maurício Souza foi confirmado após virar dúvida no sábado, em razão de um incômodo na coxa. Ao longo do jogo, titulares como Bruninho, Isac, Douglas Souza, Wallace entraram em quadra.

Enquanto o Brasil entrava no jogo com seus reservas e com a tranquilidade de ter a vaga garantida na fase final, a Bélgica protagonizava situação oposta. Colocou força máxima em quadra em busca da classificação. Por isso, partiu para cima nos dois primeiros sets e deram poucas chances aos brasileiros.

Sam Deroo e Bram Van Den Dries eram os destaques do time belga, com 19 e 18 pontos, respectivamente. Mas o Brasil entrou no jogo a partir do terceiro set. Impôs resistência na parcial e levou a melhor, recuperando moral para tentar a virada, que acabou vindo com o forte desempenho individual de Evandro, autor de nada menos que 30 pontos. Douglas contribuiu com 14.

Com a derrota, a Bélgica ficou de fora da fase final do Mundial. Além do Brasil, classificaram-se a anfitriã Itália, os Estados Unidos e a Polônia, todos líderes dos seus grupos. Também entraram na disputa a Rússia e a Sérvia por se tornarem os dois melhores segundos colocados da disputa.

As seis seleções serão divididas em dois grupos por sorteio, a ser realizado na manhã desta segunda-feira, em Turim. O único time que o Brasil não poderá pegar é a Itália. Na fase final, cada seleção fará dois jogos em sua chave, sendo que os dois melhores de cada grupo avançarão às semifinais.

Veja Mais