Infrações de trânsito caem e arrecadação cresce em Santos

A CET explica que mais condutores pagaram seus débitos nos últimos meses

22/07/2018 - 18:36 - Atualizado em 22/07/2018 - 18:36

No primeiro semestre, foram 116.507 autuações, por CET, PM e radares na Cidade (Luigi Bongiovanni/AT)

Santos emitiu 16,7% menos multas de trânsito no primeiro semestre deste ano, em comparação ao no mesmo período de 2017. Em contrapartida, arrecadou 41,5% mais, passando de R$ 14,3 milhões para R$ 20,3 milhões, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A explicação da empresa é que mais gente pagou seus débitos nos últimos meses.

No primeiro semestre deste ano foram 116.507 autuações, sendo 58.755 por agentes da CET-Santos, Polícia Militar e Guarda Portuária. As outras 57.752 sanções foram flagrantes dos 22 radares espalhados pela Cidade. Já no primeiro semestre do ano passado foram 139.839 autuações – sendo 76.023 de agentes e 63.816 da fiscalização eletrônica.

O presidente da CET-Santos, Rogério Vilani, diz que "é possível, sim, que as pessoas estejam cometendo mais infrações gravíssimas e graves do que médias e leves (por isso mais dinheiro arrecadado)". Mas, segundo dados da companhia, a justificativa mais aceitável é de uma alteração na curva da inadimplência.

"Há uma distância enorme entre a multa aplicada e a multa paga. Hoje, tem menos pessoas deixando de pagar suas multas. Esse é o fenômeno que acredito que esteja acontecendo em maior volume", diz o presidente.

Aumento

Desde novembro de 2016 os valores das multas aumentaram. Antes, os motoristas estavam acostumados a pagar multas só na renovação do licenciamento do veículo, mas desde aquela época começaram a correr juros a partir do vencimento das autuações.

Isso só foi percebido em abril do ano passado, quando começaram a chegar as primeiras Notificações de Imposição de Penalidade (NIP) das infrações cometidas. Por isso, a companhia acredita na mudança de postura diante dos pagamentos.

A CET não tem como forçar a adimplência, porque a fiscalização que verifica o licenciamento do veículo – que não pode ser renovado com multas – é da Polícia Militar.

"Se não houver trabalho de fiscalização eficiente, as pessoas acabam arriscando. E quem faz isso dois, três, quatro anos e tem a prática de cometer infrações frequentemente, dificilmente mantém o carro regularizado, pois o valor das multas e renovação da documentação supera o valor do veículo", explica Vilani.

A CET-Santos diz que há trabalho ativo da PM nesse sentido, porque a companhia precisa dar suporte nas blitze, com guincho à disposição para eventuais recolhimentos de veículos.

Radares têm levado a menos multas que agentes da CET, Guarda Portuária e PM (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Quem multa mais?

Neste e no último ano, os radares têm levado a menos multas que os agentes da CET, Guarda Portuária e Polícia Militar em Santos. Juntos, os funcionários fiscalizadores somaram 50,4% das infrações aplicadas no total. Já 49,6% restaram aos radares. Ano passado, de janeiro a junho, 45,7% das multas foram aplicadas eletronicamente e 54,3% por agentes.

Para o presidente da CET-Santos, isso é normal. “O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) tem mais de 300 artigos e o radar fiscaliza um ou dois. Os agentes ficam com os outros 300. Não dá para fazer essa comparação”, afirma, lembrando que, diferentemente do olhar humano, o radar é altamente eficiente. 

"Ninguém passa pelo radar impune. Já o agente não é onipresente e a nossa proposta não é essa. A gente direciona nosso objetivo sempre para segurança, fluidez de trânsito e depois fiscalização. Mas queremos que o motorista tenha em mente que o trânsito é uma coisa séria. Vale muito mais a pena ele não desrespeitar do que pagar multas, valores de guinchamento e diárias no pátio". 

Semáforos

Santos recebeu novos semáforos para a Cidade, como compensação pelo impacto gerado pelo acréscimo dos novos moradores ao trânsito, após a construção de empreendimentos imobiliários no Marapé.

Como a lei obriga que as intervenções e melhorias sejam aplicadas próximas às obras, os novos equipamentos pagos pelas construtoras foram colocados no cruzamento da Avenida Moura Ribeiro com a Rua Benedito Ernesto Guimarães. 

Toda a instalação está sendo executada sem custo para a Cidade e os semáforos antigos e sem defeitos serão distribuídos a outros pontos quando necessário.

Veja Mais