Com um ano de atraso, Hospital Regional de Itanhaém é inaugurado

Solenidade contou com a presença de Geraldo Alckmin, governador do Estado

30/10/2017 - 11:45 - Atualizado em 30/10/2017 - 11:46

A inauguração do novo Hospital Regional de Itanhaém, prevista para 2016, ocorreu na manhã desta segunda-feira (30) com a presença do governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB). Iniciada em 2013, a obra de R$ 66,5 milhões finalmente está concluída. Com a nova unidade, haverá a ampliação do número de leitos, de 91 no antigo prédio - que seguirá em funcionamento, para 240 vagas. 

"Hoje é um dia muito especial. Não é todo dia que a gente pode ter a oportunidade de inaugurar um novo hospital público, 100% gratuito. É uma conquista da população do Litoral Sul e Vale do Ribeira", disse o governador, em discurso.

Conforme apurado pela Reportagem, a mudança para o novo prédio teve início no último dia 15, quando alguns serviços e atendimentos começaram a ser realizados na unidade. Estadualizado desde 2008, o hospital passa a ser administrado pela Organização Social (OS) de Saúde Instituto Sócrates Guanaes (ISG).

Alckmin destacou que o hospital tem sete andares, mais um heliponto, e capacidade para realização de serviços de atendimento de média e grande especialização, o que pode ajudar a desafogar a questão da Saúde no município e na Baixada Santista. Do total de leitos, 34 são de UTI adulto e neonatal. ''Essa unidade será referência no atendimento de média e alta complexidade para cinco cidades do Litoral Sul e Vale do Ribeira".

Hospital Regional de Itanhaém foi inaugurado nesta segunda-feira (Foto: Alberto Marques/AT)

Conforme citado pelo governador, a expectativa é de que o novo prédio ajude a desafogar o atendimento hospitalar na região. Segundo dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (Cnes), em fevereiro, a região apresentava redução de 14,27% no número de leitos para pacientes do Sistema Único de Saúde.

Manifestação

Representantes de vários setores, principalmente da Associação de Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp), realizaram manifestação com apitaço no local da inauguração.

Os participantes do ato cobram do governador o fim do congelamento de verbas para Educação, por exemplo. Os manifestantes afirmam que "não adianta inaugurar prédios, sem colocar servidores e investimento para atender da forma correta o cidadão". 

Veja Mais