Após forte chuva, São Sebastião e Ilhabela decretam estado de emergência

Técnicos da Defesa Civil das duas cidades passaram a madrugada atendendo ocorrências

15/02/2018 - 11:17 - Atualizado em 15/02/2018 - 14:56

São Sebastião: água tomou ruas e avenidas. Volume de chuva concentrou-se em 24 horas (Foto: Divulgação)

A chuva que não deu trégua desde a quinta-feira (14) castigou cidades do Litoral Norte e dois deles, São Sebastião e Ilhabela, decretaram estado de emergência, pedindo apoio à Coordenaria Estadual de Defesa Civil (CEDEC) devido aos estragos causados pela força da água.

A situação é pior em São Sebastião, onde 24 famílias foram removidas de suas casas e 75 pessoas estão alojadas na escola municipal da Topolândia, na região Central do Município. O muro da Petrobras também desabou.

De acordo com a Defesa Civil do município, aconteceram muitos deslizamentos e uma casa desabou. Técnicos do órgão passaram a madrugada atendendo ocorrências em várias regiões. Moradores, muitos idosos, foram retirados de suas moradias.

Conforme o órgão, a cidade registrou 150 milímetros de chuva nas últimas 12 horas, sendo que o acumulado durante todo o mês de fevereiro, até às 4h30 desta quinta, era de 220 milímetros. 

Bairros da cidade ficaram completamente alagados (Foto: Divulgação)

Bairros como Centro e Itatinga, que são próximos, ficaram alagados. Em Itatinga, um barranco desabou sobre uma casa e foi necessário retirar as famílias da área. Olaria, Topolândia e Vila Améria, que são regiões conurbadas, também foram castigadas pela chuva. 

Ainda segundo a Defesa Civil, as pessoas que ficaram desabrigadas e foram levadas para uma escola municipal receberam kits de higiene pessoal, colchão, lençol, cobertor, água e refeição. A Prefeitura está pedindo doação de lençóis, água, roupas, alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal para os desalojados. 

Os pontos de coleta são: Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), localizado na Rua Sargento Theodoro Felisbino da Silva, nº 200, em Boiçucanga; Fundo Social de Solidariedade, localizado na Rua Sebastião Silvestre Neves, nº 128, Centro; e Secretaria de Turismo, localizada na Avenida Doutor Altino Arantes (Rua da Praia), s/n, Centro.

Entre os casos atendidos pela Defesa Civil estão queda de árvores em vias públicas e em redes de energia e queda de árvore em residência. Um muro desabou no bairro da Vila Amélia e uma passarela no Rio Una, em Barra do Una, também despencou.

A Tribuna On-line apurou que, na manhã desta quinta-feira (15), o Centro Histórico de São Sebatião amanheceu tomado pela lama e vários trabalhadores do comércio faziam a limpeza de seus estabelecimentos. Havia poucas lojas abertas.

Ilhabela 

De acordo com a Defesa Civil de Ilhabela, o índice pluviométrico do município entre quarta (14) e quinta-feira (15)  foi de 165 milímetros. A grande quantidade de chuva ocasionou deslizamentos de terra e três famílias ficaram desabrigadas. Elas foram cadastradas pelo serviço social da Prefeitura e encaminhadas para a Escola de Vela Lars Grael. Vários bairros ficaram alagados. No Morro do Cemitério, um muro desabou. Não há registro de feridos até o momento. 

Deslizamento em estrada que liga bairros em Ilhabela (Foto: Defesa Civil/Ilhabela)

Técnicos da Defesa Civil fazem vistorias em vários cantos da Cidade. Houve ainda várias quedas de árvore nos bairros e em acessos dentro da Cidade, como em uma estrada que leva aos bairros do Ilhote, Portinho, Julião, Praia Grande, Curral e Veloso.

A chuva foi tanta que o entorno da nova sede da Apae da Cidade, que na esquina da Rua Antônio Carlos Aires da Fé e Avenida São  Paulo, transformou-se em um verdadeiro rio.

Caraguatatuba

Em Caraguatatuba, houve alagamentos nos bairros do Indaiá, Perequê-Mirim, Travessão, Porto Novo e Morro do Algodão na tarde desta quarta-feira (14). Segundo as informações atualizadas da Prefeitura, até o momento 13 pessoas (adultos e crianças) estão alojadas no Centro Esportivo Municipal (CEMUG).

Segundo a Defesa Civil, o acumulado de 48 horas chega a 63 milímetros e a cidade está em estado de observação. As enchentes foram causados pelas chuvas intensas, aliada a maré alta que chegou a um pico de 1,2 metros.

Ubatuba

&nb

Em Ubatuba, uma árvore caiu e houve problemas
com telefone e internet (Foto: Divulgação/ Prefeitura)

As fortes chuvas que atingiram o Litoral Norte colocaram Ubatuba em estado de alerta, quando o índice pluviométrico acumulado supera a marca de 100 milímetros. Os bairros mais afetados foram Lázaro, Perequê-Mirim, Ubatumirim, Ipiranguinha e Figueira. Em outros 11 bairros, o índice pluviométrico também está acima do estado de atenção.

Conforme informações fornecidas pelo coordenador da Defesa Civil de Ubatuba, Guaraçay dos Santos, não houve desabrigados e nenhuma casa foi alagada. Os alagamentos em vias da cidade – principalmente no Lázaro e no Parque Guarani (Centro) –  rapidamente se escoaram após o término das precipitações. Já no km 10 da Rio-Santos, altura do bairro Picinguaba, houve uma queda de árvore na rodovia. As chuvas também afetaram a rede de telefonia e de internet na cidade

Veja Mais