Bailes funk voltam a perturbar e causar medo na população

Sob anonimato, moradores denunciam pistões em Santos e Guarujá

03/11/2017 - 18:05 - Atualizado em 03/11/2017 - 18:05

Em Peruíbe, força-tarefa da Prefeitura, PM e PC coibiu a realização dos eventos a céu aberto (Foto: Divulgação) 

A Polícia Militar (PM) e as prefeituras da Baixada Santista não estão conseguindo coibir a realização de bailes funks em locais a céu aberto – os chamados pistões e fluxos. Essa é a impressão de leitores que entraram em contato com A Tribuna nos últimos dias para reclamar da ausência de agentes públicos para barrar esse tipo de evento.

Na madrugada de quinta-feira (2), os moradores do entorno da Avenida Raphael Vitiello – antiga Avenida Brasil –, na Vila Edna, em Guarujá, voltaram a ficar incomodados com o som alto e cenas deploráveis, como consumo de drogas e de álcool por menores de idade.

“Não está adiantando nada as ações do Ministério Público, porque a Prefeitura não está fiscalizando, como determina a Justiça. A PM não está dando conta ou faz pouco caso quando a gente a aciona. A população não pode colocar a cara a tapa por medo de represália”, destaca um morador, que pediu anonimato.

O leitor faz referência à decisão do juiz Cândido Alexandre Munhóz Pérez, da Vara da Fazenda Pública do Município, que determina que a Prefeitura fiscalize e impeça os pistões. Segundo ele, em outubro, já havia sido divulgado na comunidade o calendário dos próximos pistões para este mês: dias 4, 11, 14, 18, 19 e 25.

Em Santos, os moradores da Vila Progresso que precisavam trabalhar ou estudar na última segunda-feira tiveram dificuldades de dormir por conta de um pistão na Avenida Brasil.

Conforme informações de um morador, o baile funk teria sido organizado por um dos chefes do tráfico de drogas.

“O som dos carros era alto demais. A gente até chamou a PM, mas ninguém apareceu. Isso está tirando o sossego de todo mundo. Fico impressionado com a quantidade de meninas que participam desses eventos. As drogas e as bebidas rolam à vontade. Os ônibus tiveram dificuldade de conseguir passar pelo local”.

Ação conjunta em Peruíbe

Na madrugada do último domingo, uma ação entre Prefeitura de Peruíbe, Guarda Municipal, polícias Civil e Militar foi feita para combater a perturbação do sossego público.

Segundo informações da Administração Municipal, os bairros Centro, Caraguava e Jardim Imperador receberam essa força-tarefa. A operação resultou em cinco detidos, além de algumas autuações de trânsito e de posturas.

Respostas

A Secretaria de Defesa e Convivência Social de Guarujá informou que não recebeu qualquer denúncia sobre o evento ocorrido na Vila Edna. Além disso, explicou que o trabalho de fiscalização é feito pela Diretoria de Força-Tarefa, em operação conjunta com a PM, por meio de ações em vários pontos da Cidade.

A pasta pede o apoio da população para denunciar os pistões através dos seguintes canais: 153 (Guarda Civil Municipal), 0800-7737000 (Ouvidoria Municipal) ou na sede – Avenida Santos Dumont, 800, Santo Antonio (térreo do Paço Moacir dos Santos Filho).

Já a Prefeitura de Santos explicou que a Guarda Municipal (GM) não recebeu qualquer denúncia sobre a reclamação citada. Mas, que são rotineiras as fiscalizações da GM, que dá apoio à PM em forças-tarefas desta natureza, inclusive na Vila Progresso, o que tem inibido novos bailes. 

A Reportagem de A Tribuna procurou a PM, mas a corporação não retornou até o fechamento da edição.

Veja Mais