Robinho é condenado a nove anos de prisão na Itália por estupro

Crime aconteceu em uma boate, na época que o atacante defendia o Milan

23/11/2017 - 15:41 - Atualizado em 23/11/2017 - 16:02

Atacante do Galo já teve caso semelhante na Inglaterra, mas foi absolvido (Foto: Douglas Magno/AFP)

Robinho, do Atlético-MG, foi condenado nesta quinta-feira (23), pela nona seção do Tribunal de Milão, a nove anos de prisão. O atacante é acusado de ter participado de um estupro coletivo a uma jovem albanesa de 22 anos, em uma discoteca da capital italiana, no dia 22 de janeiro de 2013. Na época, o ex-jogador santista atuava no Milan.

De acordo com o jornal La Gazzetta dello Sport, o abuso foi cometido por Robinho e mais cinco homens. Na ocasião, o atleta havia saído para jantar com amigos e a esposa, e o estupro teria sido consumado nessa mesma noite. Porém, a vítima fez a denuncia apenas alguns meses depois.

Em 2014, o Ministério Público da Itália já havia pedido a prisão do jogador, e ele até prestou esclarecimentos sobre o caso. Porém, a juíza Alessandra Simion, que cuidava do processo na época, rejeitou. A magistrada alegou que não havia razão para precaução ou risco de fuga por parte do acusado.

Esta não é a primeira vez que Robinho é acusado de estupro. Em 2009, quando vestia a camisa do Manchester City, da Inglaterra, uma jovem o acusou de abuso em uma boate em Leeds. Após investigação policial, ficou comprovado que a garota estava mentindo e o atleta foi inocentado.

Resposta

Em nota enviada para A Tribuna On-line, a advogada do atleta, Marisa Alija, explica que seu cliente já se defendeu de todas as acusações, e que já está tomando providências sobre a decisão vinda da Itália.

Confira nota completa:

"Sobre o assunto envolvendo o atacante Robinho, em um fato ocorrido há alguns anos, esclareço que meu cliente já se defendeu das acusações, afirmando não ter qualquer participação no episódio. Todas as providências legais já estão sendo tomadas acerca desta decisão em primeira instância".

Veja Mais