Atleta que quase veio ao Corinthians encomendou morte de rival, cita processo

Advogado nega o relato de suposto ex-motorista do atacante do Sport

10/08/2018 - 17:42 - Atualizado em 10/08/2018 - 17:54

Atacante Juninho foi revelado pelo Sport
(Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife)

O Corinthians desistiu da contratação do atacante Juninho, do Sport. Isso por conta da repercussão negativa junto à torcida, que não queria o atleta por ele ter sido acusado de agredir a ex-namorada. Entretanto, o processo que o jogador responde traz outra acusação.

Segundo o portal Uol Esportes, que teve acesso ao documento, o atacante, de 19 anos, encomendou a morte de um rival. Isso foi revelado em depoimento à polícia por José Luiz Ferreira Júnior, que seria o motorista de Juninho à época.

A agressão

Confirme o portal, na madrugada de 9 de outubro de 2017, a ex-namorada e o jogador, que estavam separados, se encontraram em uma casa de shows em Recife. Ali, a moça conversava com um amigo quando o atacante chegou perto.

Após os dois conversarem, Juninho convenceu sua ex-namorada a buscar roupas que permaneciam na casa do atleta. Ela concordou, desde que outra pessoa os acompanhasse.

Em dado momento, Juninho desceu do táxi que os levava. Depois, exaltado, deu um tapa na mulher. Uma câmera de segurança registrou a agressão.

"Encomenda"

Apesar disso, os dois subiram ao apartamento de Juninho. Lá, o jogador do Sport teria tido uma crise de ciúmes, achando que a moça tinha um relacionamento com o amigo com quem conversava na festa já citada.

Então, de acordo com o portal, Juninho passou a trocar mensagens com o conhecido da mulher, que também é jogador de futebol. Depois, o atacante entrou em contato com aquele que seria seu motorista.

Segundo o site, este é o relato do depoimento de Luiz Ferreira Júnior:

José "confirma que na madrugada do domingo para a segunda-feira (...) recebeu uma mensagem de áudio via WhatsApp oriunda do autuado (Juninho) encomendando a morte de um rapaz conhecido como (...), dizendo que pagaria mil reais ao declarante para quem fizesse o serviço".

O motorista afirmou à polícia que não levou a encomenda a sério e que jamais pensou em matar alguém.

Posicionamentos

Conforme o Uol Esportes, a delegada do caso, Tereza Nogueira, não abriu inquérito sobre essa denúncia, pois o amigo da ex-namorada de Juninho não prestou queixa.

O tal amigo da moça preferiu não se pronunciar, assim como a ex-namorada.

Ernesto Cavalcanti, o advogado do atacante, minimizou a acusação. "Ele não era motorista nada, quis apenas se aproveitar do momento. Todo mundo passou ao largo dessa acusação".

O advogado, que disse que pode processar o Corinthians por conta da desistência, já tinha negado a acusação de agressão contra a ex-namorada de Juninho.

Veja Mais