Arsenal e Atlético de Madri empatam jogo de ida na semifinal em Londres

No Emirates Stadium, time inglês sai na frente, mas espanhóis reagem mesmo com um a menos

26/04/2018 - 19:50 - Atualizado em 26/04/2018 - 20:03

Após o 1 a 1 no estádio do Arsenal, o Atlético de Madri joga por um empate sem gols no jogo de volta
(Foto: Ian Kington/Iki Images/AFP)

O Atlético de Madrid conquistou nesta quinta-feira (26) um grande resultado na busca pela vaga na decisão da Liga Europa. Fora de casa e com um jogador a menos durante quase todo o duelo, conseguiu arrancar o empate com o Arsenal por 1 a 1, no duelo de ida das semifinais, disputado em Londres, no Emirates Stadium. 

O jogo de volta entre os times está marcado para próxima quinta-feira (4 de maio), em Madri, no Wanda Metropolitano. E a equipe espanhola, além de ser mandante, entrará em campo com a vantagem de só precisar de um empate sem gols para se garantir na grande decisão da Liga Europa, que nesta temporada vai ser disputada em Lyon. 

O duelo desta quinta foi historicamente emblemático para o Arsenal. Nos passos finais da sua 22ª e última temporada à frente, o técnico Arsène Wenger comandou a equipe pela última vez em Londres por uma competição europeia. E viu o placar do duelo ser definido com gols de dois compatriotas franceses. 

O primeiro tempo do jogo em Londres foi praticamente de defesa contra ataque. O Arsenal impôs grande pressão sobre o Atlético de Madrid desde os minutos iniciais, situação que se intensificou a partir do décimo, quando Vrsaljko cometeu falta dura em Lacazette, recebendo o seu segundo cartão amarelo na partida. Antes mesmo da exclusão, o atacante francês já havia acertado a trave adversária. 

Ficar com um jogador a menos irritou demais o técnico Diego Simeone, que passou a reclamar demais das decisões da arbitragem também sendo expulso quase na sequência. Nesse cenário, o Arsenal sufocou o Atlético de Madrid, mas falhou demais nas finalizações ou parou em Oblak. Em um dos lances mais perigosos, aos 20 minutos, Welbeck trocou passes com Wilshere e bateu para forte defesa do goleiro. 

A partir dos 30 minutos, porém, o cenário se alterou. O Atlético de Madrid passou a exibir maior organização tática e equilibrou o jogo. Além disso, encontrou espaços nos contra-ataques para ser até mais perigoso do que o Arsenal. Assim, Griezmann deu trabalho a Ospina duas vezes, mostrando que a equipe espanhola estava viva no jogo. 

A pressão do Arsenal se intensificou no segundo tempo. O time londrino tinha praticamente o dobro da posse de bola em relação ao Atlético de Madrid, que optou por apenas se defender. Mas acabou não sendo suficiente para o time não ser vazado. E, aos 15 minutos, Wilshere fez cruzamento para Lacazette, na pequena área, colocar a equipe da casa em vantagem. 

Tentando conquistar um resultado mais confortável para o jogo de volta, o Arsenal se manteve no campo de ataque. Só que o Atlético aproveitou a chance que teve para conquistar um grande resultado. Lançado, Griezmann ganhou disputa de Koscielny e saiu na frente de Ospina. O goleiro defendeu parcialmente a finalização, mas o atacante francês pegou o rebote e aí marcou para o time espanhol, aos 35 minutos. 

O Arsenal ainda teve uma grande oportunidade para ao menos deixar o seu estádio com a vitória. Aos 42, Lacazette cruzou para Ramsey, que cabeceou para grande defesa de Oblak. Assim, o Atlético volta para Madri com um ótimo resultado, especialmente pelas circunstâncias em que foi conquistado.

Franceses em vantagem

No outro confronto das semifinais, o Olympique de Marselha deu passo importantíssimo para ir à decisão da Liga Europa. Nesta quinta-feira (26), a equipe francesa recebeu o Red Bull Salzburg para a primeira partida da semifinal e fez valer o fator casa no Estádio Vélodrome, ao vencer por 2 a 0, garantindo boa vantagem para a volta, quinta que vem (4 de maio), na Áustria.

Com o resultado, o Olympique pode até perder por dois gols de diferença em Salzburg, desde que marque ao menos um, que estará na terceira final de Liga Europa na história - foi vice em 1998/1999 e 2003/2004. Se isso acontecer, a equipe ainda terá a vantagem de definir bem perto de casa. Afinal, a decisão deste ano acontecerá em Lyon, no dia 16 de maio.

Veja Mais