Willian ganha fôlego na briga por artilharia e busca recorde no Palmeiras

Com Borja lesionado e Róger Guedes vendido, o atacante tem chance de virar referência ofensiva

18/07/2018 - 12:21 - Atualizado em 18/07/2018 - 12:25

Willian pode ser o artilheiro do Palmeiras na temporada (Foto: Ricardo Moreira/Folhapress)

O atacante Willian ganhou dupla oportunidade para confirmar aquela que tem tudo para ser a sua temporada mais goleadora: viu o colega Miguel Borja se lesionar e abrir espaço para a função de "9" no Palmeiras e o rival Róger Guedes, artilheiro do Campeonato Brasileiro, despedir-se do Atlético-MG rumo ao futebol chinês. Ele espera dar a resposta em campo já a partir desta quinta-feira, quando enfrenta o Santos, no Pacaembu, pela 13ª rodada.

Com sete gols na competição, dois a menos em relação ao agora ex-atleticano, Willian já balançou as redes 13 vezes aos todo em 35 participações no ano. A média de 0,37 gol por jogo é ligeiramente superior à do ano passado, quando bateu o seu recorde de gols em uma temporada: fez 17 em 52 confrontos (média de 0,32). 

Não que o palmeirense tenha na carreira a fama de definidor. Atacante que costuma atuar pelos lados, ele sempre se destacou mais pela entrega do que pela quantidade de bolas nas redes adversárias. No próprio Cruzeiro, onde também desempenhou algumas vezes a função de "falso" 9 que vem realizando no Palmeiras, acumulou 38 gols em 177 partidas, o que lhe rendeu modesta média de 0,21 gol por jogo ao longo das quatro temporadas que ficou no clube mineiro.

A única vez em que terminou um campeonato como artilheiro aconteceu em 2010, pelo Figueirense, quando os 13 gols marcados no Campeonato Catarinense lhe deixaram à frente dos concorrentes. Aquela temporada, por sinal, foi a sua melhor em termos de eficiência: 14 gols em 35 duelos (média de 0,4 por jogo).

No Palmeiras, ele sempre teve a concorrência de Borja e acabava preterido pelo técnico Roger Machado em algumas ocasiões. Em outras, dava lugar a Keno. Os dois, porém, não serão "problema" por algum tempo para ele.

O colombiano voltou da Copa do Mundo com uma lesão no menisco do joelho direito e passou por cirurgia no início do mês. A previsão era de que se ausentasse durante, ao menos, seis semanas. Por sua vez, Keno acabou negociado com o futebol egípcio e não integra mais o elenco.

O ataque palmeirense ainda conta com mais três peças no grupo: Dudu, Deyverson e o jovem Artur.

Veja Mais