Tite fala o que pensa da Arábia Saudita e comenta tempo de preparação do Brasil

Seleção Brasileira jogará contra equipe árabe nesta sexta-feira (12), às 15 horas, em Riad

11/10/2018 - 14:23 - Atualizado em 11/10/2018 - 15:48

Arábia Saudita tem níveis de exigência que precisamos tomar cuidado, diz Tite (Foto: Getty Images/Buda Mendes)

O técnico Tite concedeu entrevista coletiva no dia anterior do amistoso contra a Arábia Saudita e comentou se o Brasil pode evoluir enfrentando a Arábia Saudita, como seria ter Renato Augusto na armação da equipe e também comentou sobre pouco tempo de preparação para a partida.

O adversário do Brasil no amistoso desta sexta-feira (12), às 15 horas, em Riad, capital da Arábia Saudita, não possuí tradição no futebol, fez uma campanha ruim na Copa do Mundo da Rússia (ficou em terceiro com um vitória e duas derrotas em três jogos) e faz muitos torcedores dizerem que amistosos contra este tipo de seleção não serve de preparação para o Brasil. 

Para Tite, a partida contra os árabes pode sim trazer evolução à equipe. "Traz níveis de exigência, a Arábia Saudita é uma equipe móvel, de qualidade de passe, não é uma equipe estática, pragmática e isso gera um grau de dificuldade maior. Ela rompe linhas, ataca espaço, não é uma equipe pesada. É uma característica diferente, à qual teremos de nos adaptar. Ela me dá oportunidades de conhecer atletas diferentes, com estruturas táticas às vezes diferentes".

Junto com Adenor, estava também o auxiliar técnico da CBF, Cleber Xavier, que também comentou sobre o assunto.

"A Arábia tem treinador com grande trabalho no Chile, agora um trabalho novo, equipe joga no 4-1-4-1 bem definido, tem transições rápidas, joga futebol, procura ter jogo apoiado e apostar na qualidade dos atletas. Principalmente jogadores de meio e de frente. Primeiro volante tem jogo qualificado, é uma equipe que fez amistosos interessantes contra a Itália, contra a Alemanha. E também na Copa uma situação equilibrada. Temos o maior respeito pela equipe da Arábia, o treinamento foi em cima da estratégia do adversário para podermos produzir e vencer".

Renato Augusto na armação

Além de comentar sobre o próximo adversário da seleção, Tite também falou sobre a colocação de Renato Augusto de armador do Brasil. "Alguns jogadores têm essa característica. Renato, Arthur, Paquetá pode ser, Fred vamos ver se dá. Para ter essa posição e função de dar regulagem à equipe. Em alguns momentos houve na Copa, mas alternou. Renato Augusto agora retomando essa condição. Coutinho veio pra dentro bem, é momento da gente observar, passar orientação e ver a resposta em campo".

Pouco tempo para se planejar

Foram apenas três dias para fazer a montagem do elenco visando o amistoso contra a Arábia Saudita. Tite também comentou sobre isso e julgou complicado. "Sim, é muito difícil ter sentido de organização em pouco tempo. O técnico tenta manter uma estrutura base, e dar oportunidade aos atletas, não experimentar. Atletas de alto nível a gente oportuniza. Mantém uma estrutura e oportuniza para que possam desenvolver melhor. Conjunto pode dar suporte pra Pablo, Ederson, Fabinho produzirem bem. Temos que olhar o individual e o todo. É meu grande problema como técnico da Seleção, essa inquietude de não poder trabalhar muito tempo."

Veja Mais