São Paulo recebe o Bahia com Diego Souza de volta

Depois de expulsão que prejudicou o time contra o Fluminense, o jogador quer correr atrás do prejuízo

08/09/2018 - 10:28 - Atualizado em 08/09/2018 - 10:34

Diego Souza volta ao São Paulo após cumprir suspensão (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Diego Souza será a principal novidade do São Paulo que encara o Bahia neste sábado, às 19 horas, no Morumbi, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. De volta ao time após cumprir suspensão na partida anterior, a derrota para o Atlético Mineiro, o camisa 9 está em dívida com a torcida.

Primeiro, porque sua última exibição no estádio durou apenas 33 minutos, tempo que ele levou para ser expulso contra o Fluminense, no domingo passado. Além de prejudicar o time, que suou para arrancar o empate por 1 a 1, foi desfalque significativo na derrota para o Atlético-MG, na última quarta-feira, que custou a liderança do Brasileirão à equipe.

Segundo, porque apesar de ser o vice-artilheiro do São Paulo no ano, com 11 gols - tem um a menos que Nenê -, não balança as redes no Morumbi há mais de três meses. A última vez foi em 30 de maio, quando anotou um na vitória por 3 a 2 sobre o Botafogo, pela oitava rodada.

De lá para cá, marcou três gols, todos fora de casa: um contra o Grêmio, em Porto Alegre, um diante do Cruzeiro, em Belo Horizonte, e outro contra o Sport, no Recife. Por sinal, Diego Souza passou em branco nos quatro últimos jogos de que participou, incluindo os minutos em campo contra o Fluminense, quando recebeu seu único cartão vermelho no ano - acumula ainda quatro amarelos.

Hoje, ele não terá a companhia de Everton, machucado. O São Paulo também não poderá contar com Reinaldo (suspenso), Arboleda (serve a seleção equatoriana), Luan (na seleção brasileira sub-20), Bruno Peres (estiramento no adutor direito), Rodrigo Caio (em recuperação de trauma no joelho direito) e Araruna (tendinite no calcâneo esquerdo).

Morumbi

Há anos, o torcedor são-paulino ouve notícias do que seria o novo Morumbi: um estádio modernizado graças a reformas megalomaníacas anunciadas por diferentes gestões. Há, de fato, um projeto de revitalização em curso. Mas não haverá cobertura retrátil ou arquibancadas aproximadas do gramado, duas das intervenções mais especuladas. Aos olhos do público, pouca coisa vai mudar nos próximos meses. 

"Por que vamos cobrir um estádio que já tem 30 mil lugares cobertos?", questionou Eduardo Rebouças, diretor-executivo de infraestrutura do São Paulo.

Graças a uma parceria com a Ambev que já resultou na revitalização de todo o centro de mídia no térreo do Morumbi, o São Paulo vai reformar vestiários e túneis de acesso ao gramado. "A ideia é que em fevereiro ou, no mais tardar, março, esteja tudo pronto", disse Rebouças.

Veja Mais