Pioneiros na produção de pranchas se encontram em Santos

Conversa serviu como prévia das homenagens pelo Dia do Surfista, em janeiro

21/10/2017 - 21:08 - Atualizado em 21/10/2017 - 21:23

Manoel dos Santos (de amarelo), bronze nos 100m nos Jogos Olímpicos de Roma, será homenageado (Foto: Alberto Marques)

Uma prévia do que será o Dia do Surfista, em 21 de janeiro, no Paço Municipal, aconteceu na noite deste sábado (21), na Cinza General Store, no Gonzaga. Dois homenageados (Manoel dos Santos e Paulo Miorim) apareceram. Os outros serão Sérgio Heleno, Antonio Di Renzo Filho e Jo Hirano (os dois últimos in memorian). Eles estão entre os primeiros a fazer pranchas de fibra de vidro no País.

“Será uma homenagem esportiva e cultural”, afirma Reginaldo Ferreira Lima Filho, presidente da Associação Santos Surf. “Eles se assumem nadadores e não surfistas”, emenda Diniz Iozzi, o Pardhal, idealizador do Museu do Surf.

É o caso de Manoel dos Santos, bronze nos 100m livre dos Jogos Olímpicos de Roma, em 1960. Após competir no Japão, no ano seguinte, ele surfou e trouxe as informações para fabricação de prancha, feita por Jo Hirano e usada na Praia do Itararé, em São Vicente. Já Paulo Miorim, com Heleno e Di Renzo, participou disso em 1964. É engenheiro civil e esteve envolvido na construção do Quebra-Mar, nos anos 1970.

Veja Mais