Para Sasha, vitória sobre São Caetano é essencial para mirar clássico

Jogador crê que vitória ajudaria na retomada da confiança visando duelo com o São Paulo, domingo

13/02/2018 - 17:20 - Atualizado em 13/02/2018 - 17:50

 

Quando entrar em campo nesta quarta-feira à noite, contra o São Caetano, pela 7ª rodada do Paulistão, Eduardo Sasha jogará, provavelmente, sua primeira partida como titular, dentro da Vila Belmiro. A última vez que ele pisou no gramado do estádio não saiu de lá com boas lembranças. O Santos perdeu para o Bragantino, por 1 a 0.

“A gente tem tudo para fazer um novo jogo, uma nova história”, disse o atacante, em entrevista no CT Rei Pelé, nesta terça-feira à tarde.  Na partida contra o São Caetano, Sasha espera que o Santos entre “mais ligado” e conquiste a primeira vitória como mandante neste Campeonato.

Eduardo Sasha celebra gol marcado no último sábado, contra a Ferroviária: (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

“Acho que é decisiva por várias questões. Por voltar a vencer no campeonato, voltar a vencer em casa e como, logo em seguida, já tem o clássico, um a vitória pré-clássico é sempre importante para a equipe entrar mais confiante. Então, o jogo tem uma importância enorme para a gente”, ponderou.  No próximo fim de semana, a equipe pega o São Paulo, no Morumbi. 

O elenco treinou mesmo debaixo de chuva. A imprensa pôde acompanhar a movimentação por apenas 20 minutos. Depois, Jair Ventura esperou todos saírem para distribuir os coletes de titular e reserva.

História no Santos

Sasha estreou pelo Peixe justamente contra o Bragantino, quando começou no banco e entrou no lugar do lateral-esquerdo Romário. Na partida seguinte, contra a Ponte Preta, ele também começou no banco. Quando entrou, na vaga de Rodrigão, marcou o gol de empate e depois viu o menino Rodrygo virar o jogo para 2 a 1.

No empate por 1 a 1 com o Ituano, no Pacaembu, Sasha, mais uma vez, entrou no decorrer da partida e, de novo, no lugar Rodrigão. Daí em diante, virou titular. Contra o Palmeiras saiu no intervalo por causa de uma contusão e contra a Ferroviária, na rodada passada, marcou pela segunda vez com a camisa alvinegra.

Com isso, já é um dos artilheiros do Santos no ano com dois gols (Rodrygo e Arthur Gomes também têm dois). Apesar da baixa estatura (1,73m), os dois foram marcados de cabeça.

“Por não ter uma altura muito privilegiada, tento me posicionar da melhor forma possível. Acabou saindo dois gols de cabeça, que são os dois que eu tenho aqui no Santos, talvez pela questão das oportunidades que eu tive”.

Retomada na carreira

Sasha parece ter garantido uma posição no ataque do Santos, mesmo com a estreia de Gabigol como titular. As boas atuações, na opinião dele, são resultado de uma boa pré-temporada. 

“Nos últimos anos, praticamente, eu fiz uma cirurgia por ano. E, por coincidência ou não, a maioria foi no final do ano. Então, isso atrapalhou para que eu começasse o ano, desde o início, com o elenco”, explicou.

“Esse ano foi diferente. Não teve nada de cirurgias. Aproveitei as férias, descansei bem e comecei o ano junto com os demais e, com certeza, isso ajuda a fazer um bom ano pela questão de ter uma base bem trabalhada”, completou o atacante.

Sobre a parceria com Gabigol, ele admite que os dois ainda jogaram e treinaram muito pouco juntos. Quando estiverem juntos em campo, a ordem de Jair Ventura é para que não tenham posição fixa.

A orientação de Jair é para que, a princípio, Sasha fique na esquerda, Gabigol centralizado e Arthur Gomes pela direita. 

“Mas como ele sabe que a gente consegue jogar em qualquer uma das três posições, ele falou pra gente, em qualquer situação de jogo, ficar à vontade para fazer a troca ou não. Ele nos passa essa confiança”, concluiu.

Veja Mais