Oposição articula movimento por conta da péssima fase do São Paulo

Conselheiros apresentam pedido para reunião extraordinária em busca de explicações

17/07/2017 - 21:08 - Atualizado em 17/07/2017 - 22:24

A crise no São Paulo, que não vence há nove partidas e está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, provoca movimentos da oposição. Conselheiros protocolaram nesta segunda-feira (17) um pedido de reunião extraordinária. O requerimento foi recebido, mas ainda não analisado pelo órgão.

Newton Luiz Ferreira, do grupo oposicionista “Tradição” e derrotado pelo presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, em 2015, afirma ter 57 assinaturas para pedir a reunião - o estatuto exige 50.

O grupo enumera questões sobre nove itens, entre eles a insatisfação de jogadores que pedem para sair do São Paulo, a utilização do dinheiro da venda de atletas para amortizar a dívida e a multa de R$ 5 milhões no contrato do ex-técnico Rogério Ceni.

Existe outro requerimento, ainda não entregue, que pede a convocação de Vinicius Pinotti, diretor de futebol, para explicar "temas relacionados ao departamento de futebol". Conselheiros do grupo "Força São Paulo", que organizam a ação, afirmam que conseguiram as 50 assinaturas necessárias.

Retorno complicado

O São Paulo completou na noite desta segunda-feira (17) a viagem de volta após a derrota para a Chapecoense, em Chapecó (SC), pelo Campeonato Brasileiro. O trajeto não foi feito totalmente de ônibus, como o clube planejou e divulgou inicialmente. Por volta das 19h30, a diretoria encontrou espaço em um voo que saía de Curitiba e retornou de avião a São Paulo. A informação foi confirmada pelo clube em suas redes sociais.

Ao longo do trajeto de ônibus de Chapecó a Curitiba, que abrange uma distância de quase 500 km, os dirigentes buscaram alternativas e acharam vaga para todo o grupo em um voo que partiria da capital paranaense para São Paulo. Se fosse feito unicamente de ônibus, o percurso duraria cerca de 12 horas.

Logo após a derrota para a Chapecoense, a delegação teve um problema logístico. O avião que buscaria a delegação teve de fazer uma parada para reabastecimento em Foz do Iguaçu (PR). Depois, não conseguiu autorização para pousar no aeroporto de Chapecó por condições climáticas desfavoráveis.

O São Paulo pesquisou outros voos, mas havia poucos lugares disponíveis nas aeronaves. Com isso, a equipe permaneceu mais uma noite na cidade e decidiu fazer o percurso de ônibus. No meio do caminho, encontrou uma saída mais confortável.

O elenco volta a treinar às 15h30 desta terça-feira, na única atividade antes do jogo desta quarta contra o Vasco, no estádio do Morumbi, na capital paulista, pela 15.ª rodada do Brasileirão. Após a derrota para a Chapecoense, o São Paulo completou nove jogos sem vitórias e está na zona do rebaixamento.

Veja Mais