Kleina faz mistério na Ponte antes de jogo contra o Palmeiras

Treinador do time de Campinas realiza testes em treino, mas evita falar dos seus planos

20/04/2017 - 21:26 - Atualizado em 20/04/2017 - 21:34

O time da Ponte Preta já está praticamente pronto para enfrentar o Palmeiras, sábado (22), no Allianz Parque, pela semifinal do Campeonato Paulista. Mas confirmar a escalação é algo que o técnico Gilson Kleina e seus jogadores não vão fazer antes deste segundo jogo. O clima de mistério é visto no lado campineiro como arma para garantir a vaga na decisão.

Como venceu em casa por 3 a 0, agora a Ponte Preta pode perder até por dois gols de diferença. Mas a vantagem inicial não deixou ninguém empolgado pelos lados do estádio Moisés Lucarelli. O último treino efetivo aconteceu nesta manhã no centro do Jardim Eulina. Gilson Kleina fez alguns testes, mas não quis falar sobre eles. 

Principal destaque da equipe, o atacante William Potkker também preferiu manter o mistério. "Nós conhecemos bem o Eduardo (Baptista) e sabemos que ele não revela a escalação do time. Então também não vamos falar nada", disse o autor de nove gols no Paulistão, lembrando que ano passado o time era dirigido pelo atual técnico do Palmeiras. 

Um dos artilheiros do último Brasileirão, Pottker vê a chance de terminar na ponta também no Estadual. "Seria muito importante para minha carreira e também para o clube. Estou fechando meu ciclo na Ponte Preta e quero sair da melhor maneira possível", afirmou o atacante, já está negociado com o Internacional.

As opções

Todo o elenco está à disposição de Gilson Kleina, com exceção do zagueiro Reynaldo, que vinha sendo improvisado na lateral-esquerda. Ele está suspenso com três cartões amarelos e pode ser substituído por Artur. 

A outra opção é Nino Paraíba, recuperado de lesão muscular, e que treinou com bola nesta semana. Nino poderia entrar na esquerda ou voltar à condição de titular na direita para o deslocamento de Jeferson.

Com certeza esta é a única dúvida que existe. O meia Renato Cajá volta a ser opção, mas ainda bem abaixo em termos de ritmo de jogo em relação aos seus companheiros. Por isso, deve ser opção no banco de reservas. Jeferson foi dispensado do treino de quarta-feira por causa do nascimento da filha, mas treinou nesta manhã normalmente. E Clayson voltou ao campo, após repousar dois dias para se recuperar de um incômodo muscular na perna esquerda.

Na sexta-feira cedo vai ocorrer um recreativo rápido e depois a delegação segue para São Paulo, onde entra em regime de concentração. Os 1900 ingressos estão esgotados e a caravana pontepretana vai sair da frente do estádio, no sábado, a partir das 15 horas.

Veja Mais