Hamilton vence de ponta a ponta na Bélgica e diminui diferença para Vettel

Piloto inglês diminuiu diferença no Mundial para o líder Sebastian Vettel

27/08/2017 - 11:18 - Atualizado em 27/08/2017 - 14:58

Piloto inglês conquistou o topo do pódio em corrida na Bélgica neste domingo (Foto: John Thys/AFP)

O inglês Lewis Hamilton venceu o GP da Bélgica de Fórmula 1 neste domingo (27), no circuito de Spa-Francorchamps. O piloto da Mercedes coroou um fim de semana perfeito com o triunfo de ponta a ponta, que reduziu sua diferença no Mundial de Pilotos para o líder Sebastian Vettel, segundo colocado na prova.

O triunfo deste domingo levou Hamilton a 213 pontos e acirrou a disputa pelo título de 2017 com Vettel para o GP da Itália, que acontecerá já no domingo que vem e no qual o líder da temporada, com 220 pontos, vai correr "em casa", diante da torcida da Ferrari.

Hamilton foi o grande destaque de um fim de semana no qual igualou o recorde de poles positions de Michael Schumacher, com 68. Seu companheiro de Mercedes, porém, não teve o mesmo sucesso. Após largar em terceiro, Valterri Bottas errou muito e terminou a prova em quinto. Daniel Ricciardo, da Red Bull, foi o terceiro, seguido de Kimi Raikkonen, da Ferrari.

Schumacher, aliás, também foi lembrado neste domingo. No aniversário de 25 anos de sua primeira vitória na Fórmula 1, o alemão foi representado por seu filho, Mick Schumacher. O piloto da Fórmula 3 Europeia guiou na pista de Spa-Francorchamps, antes da prova, uma réplica da Benetton, com a qual o pai venceu o primeiro título mundial da carreira, em 1994.

Ex-companheiro de Schumacher na Ferrari, Felipe Massa fez uma ótima prova e terminou na zona de pontuação. Depois de sofrer nos treinos e largar na 16ª colocação, o piloto da Williams completou o percurso em oitavo e subiu para 27 pontos na temporada, ocupando a 11ª posição.

A prova

Vettel arriscou na largada e tentou pressionar Hamilton, que conseguiu manter a liderança. Os seis primeiros colocados do grid, aliás, mantiveram-se em suas colocações nas primeiras voltas. O destaque, então, ficou por conta de Fernando Alonso, que ganhou posições e chegou a ser sétimo.

Massa foi outro a ter boa largada, saltando de 16º para 14º. Em uma corrida de recuperação, o brasileiro foi subindo degrau a degrau e antes mesmo da metade da prova, já se encontrava na zona de pontuação.

Por outro lado, Alonso não conseguiu manter o rendimento e já na quinta volta, havia perdido as posições que conquistou na largada. O espanhol, aliás, viveu mais um dia para esquecer com sua McLaren, esbravejou no rádio com a equipe, sofreu com problemas no motor e era presa fácil para os competidores até abandonar a prova na 26ª volta.

Outro que não levará boas lembranças da Bélgica é Max Verstappen. O holandês fazia boa prova e seguia na quinta colocação quando também sofreu com problemas em seu carro e precisou abandonar a corrida, ainda na oitava volta.

Lá na frente, nada de grandes emoções. A cada tentativa de Vettel de ameaçar a liderança de Hamilton, o inglês respondia e abria vantagem com o ótimo rendimento de sua Mercedes nas retas. Logo atrás, Bottas fazia o mesmo diante da Ferrari de Raikkonen.

A emoção, então, ficava para os pilotos do segundo pelotão. E uma briga interna entre Esteban Ocon e Sergio Pérez quase mudou o destino da prova. O mexicano tentou ultrapassagem sobre seu companheiro de Force India na 30.ª volta, mas foi fechado e, em um toque entre os carros, perdeu parte do bico.

O Safety Car entrou na pista, e lá permaneceu por quatro voltas. Quando saiu, Vettel tratou de atacar Hamilton. A ultrapassagem quase veio quando o alemão jogou de lado para a esquerda e pisou fundo, mas o piloto inglês foi muito competente para segurar a primeira colocação e, consequentemente, a vitória.

Quem não mostrou a mesma qualidade foi seu companheiro de Mercedes. Atacado por Ricciardo, Bottas errou e viu o australiano ganhar a terceira posição. Pouco depois, foi ultrapassado ainda por Raikkonen, definindo, assim, os cinco primeiros colocados da prova.

Um pouco atrás, Massa conseguiu um ótimo resultado, principalmente levando em consideração a posição de que largou. Em meio a abandonos e problemas dos concorrentes, o brasileiro mostrou toda sua experiência para levar a Williams a uma oitava posição.

Confira a classificação final do GP da Bélgica:

1º - Lewis Hamilton (ALE/Mercedes), em 1h24min42s820

2º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 2s358

3º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a 10s791

4º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 14s471

5º - Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), a 16s456

6º - Nico Hulkenberg (ALE/Renault), a 28s087

7º - Romain Grosjean (FRA/Haas), a 31s553

8º - Felipe Massa (BRA/Williams), a 36s649

9º - Esteban Ocon (FRA/Force India), a 38s154

10º - Carlos Sainz (ESP/Toro Rosso), a 39s447

11º - Lance Stroll (CAN/Williams), a 48s999

12º - Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso), a 49s940

13º - Jolyon Palmer (ING/Renault), a 53s239

14º - Stoffel Vandoorne (BEL/McLaren), a 57s078

15º - Kevin Magnussen (DIN/Haas), a 67s262

16º - Marcus Ericsson (SUE/Sauber), a 69s711

Não completaram a prova:

Max Verstappen (HOL/Red Bull)

Fernando Alonso (ESP/McLaren)

Pascal Wehrlein (ALE/Sauber)

Sergio Pérez (MEX/Force India)

Veja Mais