Federer pegará Zverev e Cilic no ATP Finals; Melo e Soares farão duelo

Já Rafael Nadal enfrentará o austríaco Dominic Thiem, o búlgaro Dimitrov e o belga David Goffin

08/11/2017 - 11:04 - Atualizado em 08/11/2017 - 11:10

Federer terá parada dura pela frente no ATP Finals
(Foto: Getty Images)

O sorteio dos grupos do ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores tenistas da temporada, em Londres, a partir deste domingo, foi realizado nesta quarta-feira e determinou que Roger Federer terá pela frente adversários considerados mais complicados na primeira fase da competição. Atual vice-líder do ranking mundial, o suíço vai encarar o alemão Alexander Zverev, hoje 3º colocado da ATP, e o croata Marin Cilic, o quinto, além do embalado norte-americano Jack Sock, o nono, mas que vem embalado pela conquista do Masters 1000 de Paris, encerrado no último domingo.

Esta chave foi denominada Grupo Pete Sampras. Já o espanhol Rafael Nadal, que já garantiu a condição de número 1 do mundo até o final deste ano, encabeça o Grupo Boris Becker, que também contará com o austríaco Dominic Thiem, o búlgaro Grigor Dimitrov e o belga David Goffin, respectivos quarto, sexto e oito colocados da ATP.

Embora estes últimos três tenistas sejam considerados adversários perigosos, Nadal abrirá sua campanha como franco favorito a conquistar uma das vagas do seu grupo nas semifinais do ATP Finals. O espanhol, entretanto, luta para se recuperar de uma lesão no joelho que provocou a sua desistência do último Masters de Paris e tem condição física incerta para a importante competição na capital inglesa.

Federer também defenderá favoritismo em sua chave, até pelo seu histórico de hexacampeão do torneio, com os títulos de 2003, 2004, 2006, 2007, 2010 e 2011, mas enfrentará rivais considerados mais fortes no piso duro e rápido como o do ATP Finals. Cilic é considerado um velho freguês do suíço, com sete derrotas em oito duelos, mas já faturou o US Open de 2014 e foi finalista de Wimbledon neste ano, então sendo superado na decisão justamente por Federer.

Zverev, por sua vez, já derrotou o suíço por duas vezes em quatro duelos entre os dois, sendo que um destes triunfos ocorreu na final do Masters 1000 de Montreal deste ano. Já Sock, azarão desta chave, foi superado nas três ocasiões em que mediu forças com o lendário tenista suíço, que só nesta temporada conquistou sete títulos.

Dono de seis troféus conquistados neste ano, entre eles um histórico décimo de Roland Garros e um tricampeonato do US Open, Nadal também tem vantagem no retrospecto dos confrontos contra os seus primeiros três rivais neste ATP Finals. Ganhou cinco dos duelos que travou com Thiem, dez dos 11 que fez contra Dimitrov e levou a melhor sobre Goffin nas duas vezes em que encarou o belga. Ele busca ainda, porém, o seu primeiro troféu do torneio que fecha a temporada após 12 participações seguidas - os seus melhores resultados foram os vice-campeonatos de 2010 e 2013.

Duplas

As chaves do torneio de duplas do ATP Finals também foram sorteadas nesta quarta-feira, quando o brasileiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot, cabeças de chave número 1 da competição, souberam quem serão os seus primeiros adversários no evento.

E o sorteio propiciou um duelo brasileiro já na primeira fase, pois a dupla formada por Bruno Soares e o britânico Jamie Murray quarta pré-classificada, também caiu no Grupo Woodbridge/Woodforde, que conta ainda com a forte e vitoriosa parceria formada pelos irmãos norte-americanos Bob e Mike Bryan, além do time firmado pelo croata Ivan Dodig com o espanhol Marcel Granollers. Esses dois últimos foram derrotas por Melo e Kubot em uma equilibrada decisão do Masters 1000 de Paris, no domingo passado.

O outro grupo das duplas do ATP Finals, denominado Eltingh/Haarhuis, tem o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers como principais cabeças de chave e também conta com a parceria francesa Pierre-Hugues Herbert/Nicolas Mahut e com os times Ryan Harrison (EUA)/Michael Venus (NZL) e Jean-Julien Rojer (HOL)/Horia Tecau (ROM).

Kubot e Melo acumulam seis títulos de duplas nesta temporada, sendo um deles de Wimbledon e três de Masters 1000, obtidos em Miami, Madri e agora em Paris. Líderes do ranking mundial de duplistas, o brasileiro e o polonês precisam de apenas duas vitórias na primeira fase do ATP Finals para assegurarem a permanência no topo da listagem até o final desta temporada.

Veja Mais