Cuca vê evolução no Santos e reclama de pênalti sobre Gabigol

Em reencontro com clube mineiro, por onde foi campeão da Taça Libertadores, em 2013, técnico amarga derrota por 3 a 1

12/08/2018 - 16:09 - Atualizado em 12/08/2018 - 17:42

Técnico reencontrou clube pelo qual ganhou Libertadores, em 2013 (Foto: Folhapress)

Mesmo sem ainda ter conseguido recolocar o Santos no caminho das vitória, o técnico Cuca entende que a derrota deste domingo (12), por 3 a 1, diante do Atlético-MG, no estádio Independência, em Belo Horizonte, trouxe pontos positivos ao time.

E os trabalhos durante a semana para encerrar a série de 10 jogos sem vencer - considerando os jogos oficiais e amistosos de intertemporada - serão realizados em cima desses aspectos. 

"O nosso primeiro tempo foi muito bom. Apesar de termos saído atrás no placar, tivemos a posse de bola, calma, tocamos a bola, desenhamos o empate e tivemos o controle do jogo, mesmo com o Atlético tendo uma novas oportunidades. No segundo tempo, eles tomaram a iniciativa da partida e pelo lado esquerdo defensivo nosso vinham forte e triangulando. 

Nós corrigimos isso com a entrada do Copete, depois do Cittadini para termos uma criação. Vi coisas boas no primeiro tempo e temos que trabalhar em cima disso para vencer o Sport, no sábado", disse o treinador.

A boa atuação antes do intervalo não seu repetiu na segunda etapa, e o técnico reconhece isso. Ele, porém, fez questão de reclamar de uma penalidade sofrida pelo atacante Gabriel, no segundo tempo, enquanto o duelo estava empatado. 

"No segundo tempo tivemos a chance de chegar ao segundo gol com o Copete e depois com o Dodô. Além disso, teve o pênalti que não foi marcado e que tive o cuidado de analisar lá dentro, e conversar com o Gabriel. Um pênalti claro que as arbitragens dão. Seria o lance que encaminharia a vitória, assim como o segundo gol do Atlético-MG encaminhou a vitória deles".

Veja Mais