Corinthians negocia Pablo com Bordeaux e torce por venda de Malcom

Diretor de futebol do time, Flávio Adauto afirma ter um compromisso assumido com o clube francês de futebol

12/08/2017 - 15:23 - Atualizado em 12/08/2017 - 15:33
Corinthians acertou pagar 1,2 milhão de euros ao Bordeaux para contratar Pablo (Foto: Folhapress)

Enquanto tenta definir a situação do zagueiro Pablo, o Corinthians fica na torcida para que o Bordeaux acerte a venda do atacante Malcom para o Wolfsburg, da Alemanha. O clube brasileiro tem 15% dos direitos econômicos do atleta, mas, curiosamente, pode perder os direitos caso defina a compra do defensor.

"Estamos torcendo para a negociação dar certo. A gente tem um compromisso assumido com o Bordeaux, mas caso não vingue, a gente tem um porcentual de 15% do Malcom", disse o diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto.

Para contratar Pablo, o Corinthians acertou com o Bordeaux que iria pagar 1,2 milhão de euros (R$ 4,5 milhões) e ainda ceder os 15% de Malcom que estão sob o poder do clube. Entretanto, o contrato ainda não foi assinado devido a divergências entre os clubes e o empresário do defensor.

Existiam duas negociações em aberto. A primeira seria o Corinthians pagar o valor aos franceses e acertar a contratação de Pablo. Outra, que é a que estava em negociação, era prorrogar o empréstimo por mais seis meses e, neste período, conseguir juntar o dinheiro para dar aos franceses.

O problema, porém, é que o Bordeaux decidiu recusar um novo empréstimo e a negociação está paralisada. Sem avançar com Pablo, Malcom ainda tem 15% de seus direitos econômicos ligados ao Corinthians.

De acordo com a imprensa europeia, o Wolfsburg, da Alemanha, pode pagar 30 milhões de euros (R$ 113,5 milhões) pelo jogador. Desta quantia, o Corinthians teria direito a 15%, que dá R$ 17 milhões.

"Não temos pressa nisso. O Pablo tem contrato conosco até dezembro. Então podemos conversar com calma", disse Flávio Adauto. Entretanto, caso a oferta alemã se confirme, Malcom iria embora antes do dia 31 de agosto e Corinthians e Bordeaux teriam que negociar como acertariam os 15% referentes ao atacante.

Veja Mais