Com pênalti duvidoso, Everton empata com o Liverpool no Inglês

Poupados, os brasileiros Firmino e Coutinho atuaram apenas no segundo tempo

10/12/2017 - 17:11 - Atualizado em 10/12/2017 - 18:54

Wayne Rooney, do Everton, comemora gol após pênalti duvidoso (Foto: Paul Ellis/AFP)


O clássico entre Liverpool e Everton terminou empatado por 1 a 1 e com polêmica, neste domingo, no Anfield Road. Os anfitriões abriram o placar no primeiro tempo, mas sofreram a igualdade na etapa final graças a um pênalti duvidoso marcado pela arbitragem. Wayne Rooney converteu a cobrança e decretou o empate no jogo válido pela 16ª rodada. 

Com Roberto Firmino e Philippe Coutinho em campo somente no segundo tempo, o Liverpool chegou aos 30 pontos e segue na quarta colocação, distante do líder Manchester City, dono de 43 pontos - fará o clássico com o Manchester United ainda neste domingo. O Everton é o 10º, com 19. 

Depois de golear o Spartak Moscou por 7 a 0, no meio de semana, pela Liga dos Campeões, o Liverpool entrou em campo neste domingo sem Roberto Firmino e Philippe Coutinho. O técnico Jürgen Klopp decidiu poupar a dupla brasileira por conta da sequência de jogos do time nestas últimas semanas do ano. Ele escalou Oxlade-Chamberlain e Solanke no lugar dos dois. 

E, sem os brasileiros no primeiro tempo, o Liverpool perdeu força ofensiva e demonstrou falta de entrosamento do meio-campo para a frente. Menos mal que Klopp manteve Mohamed Salah entre os titulares. O atacante egípcio liderou o ataque na etapa inicial e abriu o placar aos 42, em jogada individual, ao driblar dois marcadores e acertar o ângulo. Ele se isolou na liderança da artilharia do Inglês, com 13 gols, um a mais que Harry Kane, do Tottenham. 

No segundo tempo, sob neve, o duelo seguiu dominado pelos anfitriões. Diante da vantagem no placar, Klopp sacou Salah e colocou Firmino, aos 22 minutos, e Coutinho em campo, aos 33. 

Quando o meia entrou em campo, o Everton tinha acabado de empatar em pênalti duvidoso. O árbitro assinalou a penalidade numa dividida entre Lovren e Calvert-Lewin. Os jogadores do Liverpool reclamaram, sem sucesso. Na cobrança do pênalti, aos 31, Rooney encheu o pé no meio do gol e estufou as redes.

Daí em diante, o Liverpool impôs pressão até os minutos finais. Coutinho levou perigo em uma cobrança de falta. E, nos acréscimos, o time da casa pediu um toque de mão dentro da área. O árbitro ignorou o lance antes de apitar pela última vez no jogo.

Veja Mais