Com fôlego e disposição, Chico Borg encarna o showman nas quadras

Ex-atacante da várzea santista começou a jogar tênis por conta de dores no joelho direito

07/10/2017 - 16:32 - Atualizado em 07/10/2017 - 16:45

Chico Borg é figura constante no Torneio A Tribuna de Tênis (Foto: Nirley Sena/AT)

Francisco Filho era atacante na várzea santista quando, aos 37 anos, saiu de cena, traído por seu joelho direito. Se o futebol amador perdeu um centroavante trombador (“Era como o Chulapa”, diz ele), as quadras ganharam um exímio tenista, apelidado de Chico Borg, em referência ao supercampeão das décadas de 1970 e 1980, o sueco Björn Borg.

“O técnico do Portuários, o Ropão, me incentivou no esporte, devo a ele as primeiras aulas que tive. Foi o Ropão que me deu o apelido de Borg, porque ele era o Nadal da época”, conta Chico Borg.

Aos 72 anos, ele mantém a mesma vitalidade em quadra. É o atual campeão paulista da categoria 70 anos e tem em casa uma grande coleção de troféus e medalhas conquistados ao longo das últimas décadas. “Tomara eu tivesse descoberto o tênis antes”, reflete.

Participante de inúmeras edições do Torneio A Tribuna, o incansável Chico Borg se inscreveu em três categorias na competição deste ano. Foi eliminado em duas delas, a de duplas mista e a de duplas masculina. Mas aguarda ansioso a estreia na categoria individual 55 anos+.

“Vou jogar na 55+ porque não tem a minha categoria, não tem jogadores da minha idade. Prefiro jogar na categoria individual, porque não dependo do parceiro”, opina. 

Showman

Além do estilo clássico apresentado no jogo e do fôlego de sobra para tentar chegar em todas as bolas, Chico Borg é uma atração à parte quando está em quadra. 

A Reportagem acompanhou-o em ação no jogo de duplas mista 45+, na última segunda-feira, no Tênis Clube de Santos. Apesar de sair derrotado, ao lado de sua parceira, Rossella Campell, Chico Borg empolgou o público. 

Vibrante, ele mexia com a torcida e chegou a dançar em quadra após a definição de um ponto. “O futebol é alegria, vibração, mas o tênis é muito parado. Eu gosto de emoção na partida e em quadra gosto de trazer o público para o meu lado”. 

Corretor de imóveis, Chico Borg credita o ótimo estado de saúde à prática do tênis, que ele costuma jogar de duas a três vezes por semana contra adversários bem mais jovens. Sem contar os torneios dos quais toma parte em Santos, na Capital e em outras cidades paulistas.

Alimentação

Para manter a forma, ele também evita alimentos gordurosos e os tentadores churrascos, mas não abdica de um hábito. “Bebo uma cervejinha há mais de 50 anos”, diz ele, rindo. Nesse ritmo, Chico Borg ainda se vê por muitos jogando e dando show em quadra. “Enquanto as pernas aguentarem, eu continuo a jogar”, decreta. 

Veja Mais