Anderson Silva, o Spider, é flagrado com testosterona e diurético

Lutador está suspenso preventivamente desde de novembro, quando o teste foi realizado

02/02/2018 - 20:55 - Atualizado em 02/02/2018 - 21:12

Lutador corres o risco de se aposentar (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

Anderson Silva pode se complicar ainda mais com a Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA), órgão que regula o doping no UFC. O atleta, que está suspenso de forma preventiva desde novembro, foi pego pelo uso de testosterona sintética e diurético. A informação é do site Combate.com.

Com mais esse exame positivo, Anderson chega ao quarto exame que aponta resultado positivo para o dopping. Os outros três foram feitos em 2015, um fora do período de competição e quando dois laboratórios diferentes colheram suas amostras, no dia da luta contra Nick Diaz (31/01).

A defesa de Anderson cre que o atleta não conseguirá escapar da pena. Porém, deseja um julgamento em primeira instância, pois o atleta foi julgado pela Comissão Atlética de Nevada (NAC, na sigla em inglês) e não pela USADA.

Caso o lutador receba dois anos de suspensão, sua aposentadoria será oficializada. Anderson está com 42 anos e uma suspensão longa anteciparia seus planos.

A metiltestosterona tem um efeito igual ao dos esteroides anabolizantes, porém, não apresenta tantos efeitos colaterais. 

Veja Mais